10 Bons jogos japoneses nunca foram oficialmente lançados no Ocidente .

OLD-MAN

Viciado
1,656
2,849
Rio de Janeiro

Ao longo dos anos, tem havido inúmeros jogos grandes e interessantes feitos no Japão que, infelizmente, nunca chegaram ao exterior, nem para a Europa nem para a América do Norte. As razões por trás da decisão de não divulgá-las no ocidente podem variar muito, da falta de canais de localização ou fundos adequados, a coisas como a falta de interesse pelos títulos no ocidente.
Com isso em mente, vamos dar uma olhada no que considero ser os exemplos mais notáveis de jogos que nunca foram lançados fora do Japão, pelo menos não em qualquer canal oficial. Naturalmente, há muito mais do que dez para escolher, tantos títulos aclamados e interessantes tiveram que ser deixados de fora da lista e, claro, há sempre a possibilidade de que alguns dos jogos listados abaixo acabem indo para o exterior, mas No momento em que escrevo, eles ainda são exclusivos do Japão.
10. Shining Force III (Scenarios 2 and 3)

Alguns de vocês podem realmente se lembrar de jogar o Shining Force III por volta de 1998 no Sega Saturn, mas sem o conhecimento da maioria das pessoas na época, eles estavam tocando apenas a primeira das três partes que compõem a totalidade do Shining Force III. No Japão, o jogo foi lançado em três volumes entre dezembro de 1997 e setembro de 1998, mas aqui no oeste só recebemos o primeiro deles.
Cada um dos três volumes apresentava um elenco separado de personagens jogáveis e histórias que se sobrepunham em pontos diferentes. Por exemplo, o personagem de Medion, que o jogador encontra várias vezes no primeiro volume, é o personagem central no segundo volume; enquanto o terceiro se concentra em outro personagem - Julian - que é encontrado pela primeira vez no volume de estréia.
O final real para o Shining Force III só poderia ser obtido jogando todos os três volumes, e para muitos jogadores ocidentais isso nunca foi uma opção. É uma pena que nunca tenhamos tido a chance de jogar o jogo completo, especialmente porque muitos dos títulos da série já foram disponibilizados no PC, então seria ótimo ver todo o Shining Force III disponibilizado no jogo. oeste.
9. Policenauts

Considerando o quão famoso Hideo Kojima se tornou nos últimos 20 anos, é incrível que um de seus jogos anteriores mais famosos nunca tenha sido lançado oficialmente fora do Japão, mas foi exatamente isso que aconteceu com o Policenauts. Longe de seus outros trabalhos mais conhecidos, como Metal Gear Solid e Zone of the Enders, Policenauts é um jogo de aventura em primeira pessoa que usa uma interface de apontar e clicar. No entanto, Policenauts definitivamente tem o estilo de Kojima por toda parte, especialmente quando se trata de sua premissa básica e narrativa.
O jogo se concentra em Jonathan Ingram, um astronauta com treinamento policial (daí, policenauts), que trabalha na equipe de segurança de Beyond Coast, a primeira colônia espacial totalmente funcional. Durante um teste de um novo traje espacial, ele sofre um acidente e se afasta no espaço, sendo considerado morto. No entanto, ele é encontrado vivo e bem 24 anos depois, tendo sobrevivido graças ao módulo de sono frio do traje. Mais tarde, enquanto trabalhava como investigador particular, Jonathan é contatado por sua ex-mulher para investigar o desaparecimento de seu marido em Beyond Coast. Quando ela é morta logo depois de um ataque, Jonathan decide assumir o caso e cumprir seu desejo final.
É realmente incrível que este jogo nunca tenha sido trazido do Japão, especialmente depois que Kojima alcançou o status de celebridade após o lançamento de Metal Gear Solid. Tenho certeza de que haveria interesse em um jogo como este, até hoje. Infelizmente, o Policenauts também é de propriedade da Konami, o que significa que é praticamente improvável que esse lançamento seja lançado em qualquer função oficial.
8. Dragon Quest X

Dragon Quest como uma série sempre foi muito mais popular no Japão do que no resto do mundo. Enquanto os quatro primeiros jogos da série foram lançados na América do Norte, a quinta e sexta parcelas ignoraram inteiramente o resto do mundo, pelo menos inicialmente, devido às vendas fracas das entradas anteriores no oeste. O sétimo jogo foi mais uma vez trazido para a América do Norte, mas não foi até Dragon Quest VIII que a série fez sua estréia na Europa.
Com isso em mente, talvez não seja totalmente inesperado que o Dragon Quest X fosse aparentemente reservado exclusivamente para o público japonês. A razão dada para a falta de localização é a quantidade de texto que o jogo precisa para ser traduzido, e os problemas com o funcionamento de um MMORPG em escala global. No entanto, como o sucesso da Square Enix com o Final Fantasy XIV prova, a empresa claramente tem a capacidade de fazê-lo se realmente quisesse.
A falta de uma versão ocidental é especialmente interessante porque o jogo já foi lançado não apenas no PC, mas também no Switch e no PlayStation 4. Eu acho que a enorme base de instalação desses consoles e as altas ondas de impulso de ambos os sistemas estão rodando no momento faria uma versão ocidental do Dragon Quest X um esforço que valeria a pena.
7. Bahamut Lagoon

Voltando aos anos 90 aqui com um dos clássicos menos conhecidos da Squaresoft no sistema de 16 bits da Nintendo - Bahamut Lagoon. Na época, a Square era possivelmente o desenvolvedor mais consistente do mundo inteiro ou, no mínimo, estava perto do topo da lista. Praticamente todos os jogadores sabem dos títulos mais famosos da empresa naquela época, de Chrono Trigger e Final Fantasy VI ao Secret of Mana, mas escondido entre todos eles está outro título clássico que foi lançado perto do final do ciclo de vida do Super Famicom.
Inicialmente, pode ter havido planos para localizar a Bahamut Lagoon e lançá-la no oeste, o que faria sentido considerando o excelente histórico da Square no SNES. No entanto, parece que a mudança de prioridades da Nintendo em relação à sua máquina de 16 bits e à N64 fez com que esses planos caíssem, e até hoje não houve um único lançamento oficial da Bahamut Lagoon em qualquer sistema fora do Japão.
Um detalhe muito interessante sobre o jogo é que em um ponto durante o desenvolvimento foi intitulado Final Fantasy Tactics, que mais tarde se tornaria o nome de um clássico do PS1 totalmente separado. No entanto, isso faz muito sentido, já que a equipe de desenvolvimento do Bahamut Lagoon incluiu pessoas como Hironobu Sakaguchi, Kazushite Nojima e Motomu Toriyama, que foram ou se tornariam bem conhecidos por seu trabalho na série Final Fantasy.
6. Phantasy Star Online 2

Entre as minhas lembranças favoritas do Gamecube está jogar Phantasy Star Online com um grupo de amigos, gastando incontáveis horas matando monstros, lutando contra chefes e procurando por armas raras nos vários locais diferentes encontrados no jogo. Por causa disso, fiquei muito animado com a perspectiva de mais uma vez jogar outro jogo como esse. Infelizmente, isso provou ser bastante difícil de alcançar.
Originalmente lançado no Japão em julho de 2012, a Sega anunciou que um lançamento ocidental de Phantasy Star Online 2 aconteceria de fato em 2013 e um teaser para uma versão em inglês foi exibido na Penny Arcade Expo 2012, mas 2013 veio e foi sem liberação ocidental. No final daquele ano começaram a circular rumores de que a versão em inglês havia sido cancelada por completo, já que a Sega estava preocupada com sua lucratividade potencial no Ocidente.
Desde então, não houve mais nenhuma notícia sobre uma possível versão ocidental, e no final de 2017 o site em inglês do jogo foi removido. Eu acho que esta é outra falta infeliz, semelhante ao Dragon Quest X, como Phantasy Star Online 2 também foi lançado no PS4 e Switch (no caso do último lançamento foi apenas este ano) e eu acredito que poderia ter se tornado pelo menos um sucesso decente nos dois consoles.
5. Seiken Densetsu 3

Mesmo que o SNES tenha uma reputação bem merecida como um ótimo console para JRPGs, ele tem o potencial de ser ainda melhor. Eu já falei sobre a Bahamut Lagoon, mas menos de 6 meses antes os gamers japoneses foram tratados com outro excelente RPG da Square - Seiken Densetsu 3, ou como às vezes tem sido chamado no ocidente, Secret of Mana 2.
Como foi o caso com muitos dos outros jogos nesta lista, Seiken Densetsu 3 deveria vir para o oeste também, mas esses planos mudaram e nós nunca tivemos a chance de tocá-lo. No entanto, as razões por trás do cancelamento foram bastante diferentes da maioria dos outros títulos que enfrentaram um destino semelhante ao longo dos anos.
Como se viu, o Seiken Densetsu 3 nunca foi lançado no ocidente por causa de uma série de bugs de software que teriam tornado o processo de localização demorado e caro, a ponto de simplesmente não fazer sentido para a Square fazê-lo. Ainda assim, é uma pena que nós realmente nunca tivemos a chance de jogar a continuação de um dos RPGs mais amados do SNES de todos os tempos em qualquer função oficial.
4. Shin Megami Tensei: Devil Summoner

Nos últimos dez anos, a franquia Shin Megami Tensei encontrou-se em uma posição única que pouquíssimas, se é que há, outras franquias de videogames podem reivindicar. É ao mesmo tempo uma série de jogos extremamente populares e de nicho excepcional, que desfruta de um culto de seguidores entre os fãs hardcore do JRPG, mas às vezes também vende milhões de cópias em todo o mundo.
Não há dúvida de que a série tem visto um grande aumento de popularidade nas últimas gerações de consoles, mas na maior parte das vezes essa mudança foi limitada à sub-série Persona. A série principal e outros títulos derivados permaneceram em grande parte nos bastidores, e muitos dos títulos anteriores da série nunca saíram do Japão.
Enquanto esta entrada especificamente aponta Devil Summoner, eu poderia facilmente ter trazido títulos como Shin Megami Tensei II ou a História do Demônio Digital original: Megami Tensei e sua sequência, todos os quais são até hoje lançamentos exclusivos do Japão. A Atlus demonstrou pouco interesse em relançar seus títulos antigos fora do Japão, preferindo se concentrar em novas entradas na série, e não posso culpá-los por isso.
3. The Legend of Heroes VII – Zero no Kiseki and Ao no Kiseki


The Legend of Heroes VII, também conhecido como o Arco de Crossbell, é outro caso curioso como é essencialmente o capítulo médio entre duas outras histórias que ambos foram libertados no ocidente em recentes anos ( Trails in the Sky e Trails of Cold Steel), mas por algum motivo o jogo que conecta os dois não recebeu o mesmo tratamento.
Acontecendo três meses após os eventos de Trails in the Sky 3 e eventualmente levando para os eventos que ocorrem nos jogos Trails of Cold Steel, os dois títulos que compõem A Lenda de Heróis VII (Zero no Kiseki e Ao no Kiseki) foram originalmente lançados no PSP em 2010 e 2011 no Japão. Embora tanto a série precedente de jogos quanto a seguinte tenham sido trazidas para o ocidente pela Xseed Games, por algum motivo estranho a localização saltou sobre essas duas entradas.
Ainda é possível que The Legend of Heroes VII seja lançado em algum momento no ocidente também. Afinal de contas, levou quase sete anos para que o primeiro jogo Trails in the Sky saísse do Japão, por isso não está completamente fora de questão que estes dois acabem por receber o mesmo tratamento. A Xseed Games ainda é uma empresa relativamente pequena, e esses jogos exigem uma grande quantidade de trabalho para localizar, então é compreensível que eles simplesmente não possam trabalhar em vários desses títulos ao mesmo tempo.
2. Mother 3

De todos os jogos nesta lista, nenhum teve o tipo de demanda apaixonada e duradoura dos fãs que a Mother 3 teve desde que foi lançada originalmente no Game Boy Advance em 2006. Os fãs têm clamado por uma versão ocidental por mais de uma década agora, mas por uma razão ou outra, a Nintendo recusou-se firmemente a trazer o jogo para o exterior.
A Mother 3 também teve um ciclo de desenvolvimento muito interessante, já que a produção do título começou em 1994 para o Super Famicom, antes de ser transferida para o Nintendo 64 depois que a equipe de desenvolvimento viu o Super Mario 64. No entanto, o time logo Ele teve problemas com as limitações do N64, com suas especificações anteriores excedendo o que o console era capaz de fazer em termos de hardware e memória.
Eventualmente, em 2000, o projeto foi completamente cancelado, antes de mais uma vez ressurgir em 2003, desta vez no Game Boy Advance. Ao todo, depois de vários atrasos e problemas de produção, demorou 12 anos para que a Mother 3 fosse concluída, e mesmo assim a base de fãs do Ocidente só encontraria decepção no final quando a Nintendo decidiu não lançar o título fora do Japão. Talvez algum dia.
1. Valkyria Chronicles 3

Os dois primeiros jogos foram lançados no ocidente, e o primeiro jogo em especial foi muito bem recebido, tornando-se um hit surpresa em todo o mundo. vendendo mais de 1 milhão de cópias apenas no PS3. O segundo jogo não foi capaz de igualar as vendas do original, ficando aquém em todas as regiões em que foi lançado, mas especialmente no ocidente.
Devido a estas vendas em declínio, a Sega decidiu não lançar o terceiro jogo fora do Japão. No entanto, na minha opinião, a queda da popularidade da série foi em grande parte devido à decisão da Sega de mover a franquia para o PSP após o jogo original. Tinha conseguido cultivar com sucesso um par de vitórias para Valkyria Chronicles no PS3, mas recusou-se a construir sobre isso e em vez disso mudou de plataforma, resultando em um declínio significativo nas vendas mesmo no Japão, onde o PSP ainda era uma plataforma muito forte na época.
Essencialmente, a decisão da própria Sega de mover a série para o que era basicamente uma plataforma em extinção no Ocidente criou a situação em que a popularidade da série declinou após o primeiro jogo, o que por sua vez levou o jogo a não sair no oeste. Felizmente, a série se recuperou e estamos a menos de um mês do lançamento de Valkyria Chronicles 4. Talvez o terceiro jogo finalmente chegue ao oeste se o VC4 for bem sucedido o suficiente. Sempre podemos ter esperança.
Joguei tb no Saturn Makyō: Daiyon no Mokushiroku,não sei ele foi depois lançado no ocidente.

Este artigo achei bem interessante e resolvi postar aqui ,original de http://www.vgchartz.com/author/145/taneli-palola/
 

Edu Barros

Viciado
PXB Gold
5,249
6,764
Ribeirão Preto
Shining Force é uma franquia que eu torço para que seja retomada.
E Policenauts eu já tive vontade de experimentar com o patch de tradução que a comunidade criou para o Saturn e PS1, mas acabei deixando de lado.
 
  • Curtir
Reações: OLD-MAN

Victal

Viciado
10,926
9,626
Bom, vou fazer uma leve apologia, mas você pode jogar alguns desses jogos no PC com emuladores.
Inclusive Shining Force III - Scenario 2 e Scenario 3 foram 100% traduzidos por fãs e você pode instalar os patchs de tradução.
O que demostra o carinho que o fãs têm pela série aqui no ocidente.
 
Última edição:

Victal

Viciado
10,926
9,626
Ela acabou virando outra coisa, não? Eu tentei me empolgar com o Shining Ressonance, mas falhei miseravelmente.
SEGA distorceu e retorceu a franquia que era uma das melhores do RPG tático, junto com Final Fantasy Tactics e Fire Emblem.
Lançou action-RPG e toda tentativa insana que deu. Além de abandonar o estilo clássico da arte dos originais por um estilo sem personalidade.
Mas enfim... nem ligo muito, imagina.
 
  • Curtir
Reações: OLD-MAN
adoraria ver os 3 SF3 realançados num pacote pra Xbox, estilo como relançaram o Radiant Silvergun, mas o problema é que eles não iriam utilizar a tradução da fã-base e daria um trabalhão fazer isso hj.
 
  • Curtir
Reações: 2JLR