Days Gone no PS4: A Origem de um Anti-herói

Morts

Viciado
12,161
6,938
Cotia
Semana passada, na E3, o estúdio SIE Bend revelou Days Gone, seu mais novo título para PS4. Uma aventura brutal num mundo pós-apocalíptico, Days Gone segue a história de Deacon St. John – um andarilho e caçador de recompensas subsistindo no Grande Deserto do Noroeste do Pacífico.

Nós batemos um papo com o time de desenvolvedores nos bastidores em Los Angeles para descobrir um pouco mais sobre o protagonista e por que seus antecedentes são tão importantes para o jogo.


Se há algo que o time da Bend está disposto a transmitir sobre esse universo é um mundo cão, é a natureza intransigente e cruel das coisas. “Pessoas desesperadas fazem o que pessoas desesperadas precisam fazer para sobreviver”, explica Ron Allen, o diretor criativo.

“Na maioria de jogos de mundo aberto, quando há perigo, em geral é porque você está colhendo o que plantou. Em Days Gone, o mundo é perigoso – sempre”.

Depois de ver hordas de ‘Freakers’ infectados abarrotando o ambiente no clipe que foi ao palco da coletiva de imprensa da PlayStation na E3, não temos dúvida do que ele quer dizer.

“Basicamente qualquer sobrevivente da pandemia teve que ter algo especial dentro deles – as habilidades certas para roubar, matar e sobreviver em um mundo cruel”, ele continua.

“Se você não sabia só pela marca em suas costas, em sua vida passada, Deacon St. John fazia parte de uma gangue de motoqueiros. Ele aprendeu um bocado com esse grupo, e isso o ajudou a sobreviver”.

O time não recua da personalidade anti-heróica de seu protagonista. “Ele é um cara perigoso. Está usando suas habilidades onde pode – e seu apetite por violência e caos o ajudam a ser bem sucedido.”

“Ele pode achar coisas pelo mundo e fazer ferramentas melhores. Por exemplo, você verá que ele alinhou o cano de sua pistola de forma similar a um filtro de óleo, então se ele encontrar filtros por aí, ele pode anexá-los a sua arma, o que lhe dará um supressor improvisado por alguns disparos.”

Nós perguntamos o quão importante é o papel de seu veículo de escolha – uma moto cheia de lama – no jogo.

“A motocicleta tem um papel muito, muito importante”, ele nos assegura.

“É extremamente ágil – um carro não entra em certos espaços, e não pode fazer certas coisas que uma motocicleta pode. Não é uma moto típica de gangue. Ele adaptou a coisa toda para funcionar nesse mundo selvagem. Não tem como fazer pulos ou passar pelo tipo de terreno que se vê no jogo com uma moto estilo Harley.”

Ron explica que você pode não apenas guardar itens extras na moto, mas é também o jeito primário de atravessar o mundo e, é claro, escapar dos ‘Freakers’ supracitados.

Apesar da insistência do time em fazer um mundo intransigente e cão, Ron está ansioso para dividir as ambições mais profundas da Bend para Deacon e sua história.



“É sobre a condição humana – esse cara é um homem quebrado”, explica o diretor criativo.

“Muitos de nós são motoqueiros. É uma cultura realmente vibrante. Ocasionalmente, ela é associada a criminosos, caos e violência, mas também tem irmandade e família. É porque Deacon sofreu tantas perdas que ele se agarra a esse aspecto de seu passado, e dá tanto valor para essas relações. É sobre se encontrar, porque ele não é mais parte de sua gangue de motoqueiros.”

Nós teremos mais notícias sobre o mais novo projeto da Bend Studio’s conforme o desenvolvimento progredir.
Fonte: http://blog.br.playstation.com/2016/06/22/days-gone-no-ps4-a-origem-de-um-anti-heroi/
 
3,401
1,938
Eu acho que a melhor parte dos jogos de apocalypse zombie, é quando tratam os humanos/sobreviventes de forma mais elaborada. Como pessoas lutando contra um mundo sem leis. Se tornando hostis, selvagens, pilhadores, tiranos e etc. Se trabalharem este lado como Walking Dead ao invés de Dead Rising, eu já fico muito mais interessado.
 

Morts

Viciado
12,161
6,938
Cotia
Eu acho que a melhor parte dos jogos de apocalypse zombie, é quando tratam os humanos/sobreviventes de forma mais elaborada. Como pessoas lutando contra um mundo sem leis. Se tornando hostis, selvagens, pilhadores, tiranos e etc. Se trabalharem este lado como Walking Dead ao invés de Dead Rising, eu já fico muito mais interessado.
Provavelmente será isso..
Na real o que eu mais gosto em relação a zumbis é que o apocalipse gerado por eles, destroi toda sociedade tornando pessoas normais e psicopatas e valentões e mocinhas..
Bom eu to de olho nesse game e acho q promete.
 

HenriquePerche

Viciado
6,440
6,493
Ribeirão Preto
Esse é outro jogo que não me empolgou... Na hora da conferência eu até fiquei ansioso por todo o hype, mas passado o tempo e analisando friamente, é só mais um entre tantos iguais... Vão ter que suar sangue pra fazer um tema tão genérico ser bom.
 

dlm1982

Novato
Colaborador
6,135
1,574
Sons Of Anarchy encontra The walking Dead...mistura interessante.
Mas de fato a temática de zumbis já tá meio batida, ainda mais de pois que a Sony entregou com TLoU o jogo referência do estilo.
Acredito que vale a pena esperar para ver como o jogo se sai, mas confesso que preferia confrontos menos exagerados. O protagonista parecia ter munição infinita, contra inimigos infinitos em um mundo pós-apocaliptico...isso me incomodou um pouco
 

Morts

Viciado
12,161
6,938
Cotia
Sons Of Anarchy encontra The walking Dead...mistura interessante.
Mas de fato a temática de zumbis já tá meio batida, ainda mais de pois que a Sony entregou com TLoU o jogo referência do estilo.
Acredito que vale a pena esperar para ver como o jogo se sai, mas confesso que preferia confrontos menos exagerados. O protagonista parecia ter munição infinita, contra inimigos infinitos em um mundo pós-apocaliptico...isso me incomodou um pouco
Então o cara explica isso dizendo que no jogo teremos sim um gerenciamento mais foda de recursos..
Eles colocaram essas munições para o cara não morrer e passar vergonha na conferencia.
Ele explica isso, ou seja, teremos sim recursos mais limitados.
Uma coisa que temos que analisar é: qual tema não é batido? Se vc for analisar friamente, eu só consigo ver tema de pirata mal explorado, pq o resto.......o resto ja exploraram tudo.
Tipo, jogos de esportes...tema batido..
Alieniginas destruindo a terra: batido
Todos temas em sí são batidos...agora o lance é evolução de personagem...podemos ter o tema batido que for, se tivermos personagens bons o jogo fica com outra cara.
 
  • Curtir
Reações: Jotabe

dezenove

Viciado
1,285
1,017
Então o cara explica isso dizendo que no jogo teremos sim um gerenciamento mais foda de recursos..
Eles colocaram essas munições para o cara não morrer e passar vergonha na conferencia.
Ele explica isso, ou seja, teremos sim recursos mais limitados.
Uma coisa que temos que analisar é: qual tema não é batido? Se vc for analisar friamente, eu só consigo ver tema de pirata mal explorado, pq o resto.......o resto ja exploraram tudo.
Tipo, jogos de esportes...tema batido..
Alieniginas destruindo a terra: batido
Todos temas em sí são batidos...agora o lance é evolução de personagem...podemos ter o tema batido que for, se tivermos personagens bons o jogo fica com outra cara.
Velho Oeste também é um tema não muito explorado.
É complicado mesmo falar sobre tema batido, quase tudo hoje em dia é igual. Se o enredo, jogabilidade, inovação ser o diferencial, o tema é o de menos acredito.
 

Morts

Viciado
12,161
6,938
Cotia
Velho Oeste também é um tema não muito explorado.
É complicado mesmo falar sobre tema batido, quase tudo hoje em dia é igual. Se o enredo, jogabilidade, inovação ser o diferencial, o tema é o de menos acredito.
até velho oeste se vc analisar mesmo friamente...
Aqueles jogos da decada de noventa com pistolas, os jogos do Read Dead do ps2, RDR, call of juarez e por ai vai..
Não consigo encher muitos temas não batidos..A questão é inovação e enredo bom.
Temos tbm aquele lance de gosto pessoal..Eu curto zumbi, qualquer coisa de zumbi pra mim é foda..
Outros preferem aliens então qualquer jogo de alien já é bem visto.
Eu acredito no jogo e tbm sei q terá q ser muito bom, para poder bater LoUs
 

HelderSR

Viciado
PXB Gold
7,025
7,184
Eu não curto jogos com essas hordas de inimigos, seria mais interessante um jogo de mapa semi aberto ou aberto, alguns inimigos aqui , outros ali, exploração , mas sem essas hordas e hordas de inimigos.
 

dlm1982

Novato
Colaborador
6,135
1,574
Eu não curto jogos com essas hordas de inimigos, seria mais interessante um jogo de mapa semi aberto ou aberto, alguns inimigos aqui , outros ali, exploração , mas sem essas hordas e hordas de inimigos.
Foi o que me incomodou. Espero que sejam em partes específicas.
O que TLoU fez magistralmente foi fazer o jogador temer mais os confrontos com outros humanos do que necessariamente com os zumbis. Pois os humanos são os monstros no final das contas.

E há outras formas de explorar mundos pós-apocalípticos sem colocar zumbis. The Division fez isso, Fallout e Mad Max fazem isso também.

A temática zumbi nessa geração e na passada está exagerada.

Parece que todo mês sai um jogo de zumbi novo!!!
 
  • Curtir
Reações: HelderSR

caddelin

Viciado
1,730
712
Curitiba
Eu não sei, não. Esse jogo não me empolga nada. A impressão que eu tenho é que foi encomendado apenas para bater de frente com State of Decay. Penso que você pode bater de frente com um exclusivo do concorrente sendo um pouco mais criativo. Sério: "um anti-herói que enfrenta um apocalipses zumbi!!!! Nossa, ninguém nunca pensou nisso antes..."
 

Blanka

Jogador
2,346
611
João Pessoa, PB
Também estou no time dos céticos.

Nada desse jogo até agora chamou a minha atenção, como falaram aqui, parece absurdamente exagerado.

Esperar para ver como se sai.
 

mad2035

Casual
1,690
891
Vi o video, nao estava dando um saco de pipoca lilica pelo jogo, parecia um jogo generico de zumbi.


Se confirmar esta analise teremos situação parecida como horizon zero onde todos esperava um killzone e recebemos um jogo de referencia.

Seria o 3 jogo da geração que a sony usa a mesma formula: Pegue um jogo generico que ninguem espera nada, acrescente uma historia emotiva e algo para se importar no jogo e tenha um AAA de sucesso.
 

HenriquePerche

Viciado
6,440
6,493
Ribeirão Preto
Seria o 3 jogo da geração que a sony usa a mesma formula: Pegue um jogo generico que ninguem espera nada, acrescente uma historia emotiva e algo para se importar no jogo e tenha um AAA de sucesso.
É bem aquela política que o Shawn Layden comentou sobre os exclusivos PlayStation o "first, best or must."

"First" - Serem os primeiros a criar um gênero específico de jogo;
"Best" - Se o gênero já existir, que seja o melhor já criado;
"Must" - Dar suporte a plataforma pra novas tecnologias quando elas chegarem.

Eu tava 0% empolgado com esse jogo, ai aquele trailer do casamento do Deacon e da Sarah já me deixou em alerta: "opa, acho que teremos uma história bacana vindo ai".

Aí depois das previews que saíram, já tenho certeza que será mais um jogo legal, divertido e acima de tudo bom.