Qual foi o primeiro Easter Egg nos Games?

Daniel Atilio

Jogador
687
1,310
Bauru
Hoje em dia é comum vermos brincadeiras e referências escondidas nos games, porém quem que começou com tudo isso? E qual foi o motivo por trás?

Programadores sempre gostaram de esconder e brincar com algumas coisas em seus códigos, seja em alguma linha de comentário, ou deixando até mesmo para as pessoas mais curiosas encontrarem essas coisas escondidas.

Warren Robinett, era um desenvolvedor que trabalhava na época no game Adventure para Atari 2600. Robinett foi o criador do primeiro Easter Egg descoberto em um game. E, após essa descoberta, isso fez com que os jogadores procurassem segredos em outros games, o que incentivou (e impulsionou) outras mídias (como filmes, quadrinhos, desenhos, etc) a adicionarem Easter Eggs. Inclusive, acredita-se que o game Adventure do Atari 2600 foi o responsável por criar o termo Easter Egg na indústria do entretenimento!


Adventure
Mas como tudo isso começou? Em 1978, Robinett trabalhava na Atari, e lá seria feito um game adaptação de Colossal Cave Adventure, porém o chefe de Robinett acabou o proibindo de desenvolver o game, pois achou que seria difícil adaptar para a pequena memória do Atari.

Robinnet continuou desenvolvendo o protótipo em segredo, e depois de estar funcional, apresentou ao departamento de Marketing da Atari que se impressionaram. A qualidade do game chamou tanto a atenção, que esse protótipo também foi usado no desenvolvimento de Superman de 1979.

Naquela época (e até a década de 1990), as empresas não creditavam as equipes de desenvolvimento dos games, apenas a editora (nesse caso a Atari), foi isso que motivou Robinett a criar uma câmara secreta no jogo, com seu nome ao fundo.


Warren Robinett
Robinett disse que se inspirou nos Beatles, como ao virar músicas ao contrário, existiam mensagens escondidas. O desenvolvedor manteve tudo em segredo, não contou a ninguém, e deixou a Atari produzir os cartuchos com esse segredo escondido. Essa câmara não estava no manual do game, e como ninguém sabia, os jogadores só poderiam encontrar explorando o game. Ele acabou saindo da Atari em 1979, e o Easter Egg foi encontrado menos de um ano após o lançamento do game.

Para encontrar esse Easter Egg, o jogador precisa pegar uma ponte em um castelo negro, forçando a tela a piscar mostrando uma sala secreta. Entrando nessa sala, você usa a ponte para entrar no quarto, pega um ponto cinza e leva ele ao corredor principal. Ao fazer isso, é aberto uma câmara, que contém o texto “CREATED BY WARREN ROBINETT” com efeitos de cores piscando.

A primeira pessoa a relatar que encontrou o Easter Egg foi Adam Clayton, que mandou uma carta para a empresa com mapas desenhados à mão, e um guia de como encontrar a sala. Aparentemente Clayton se tornou programador, pode ser que seja graças ao seu interesse por explorar segredos em jogos.


Imagem do Easter Egg
Steve Wright, que era gerente do departamento de videogames da Atari, disse que quando soube, ele achou que tudo aquilo tinha sido bem legal. Mas a empresa fez com que alguns designers rastreassem o código, e quando o designer Brad Stewart encontrou, ele recusou a ideia de remover.

Naquela época, para criarem uma nova máscara de ROM (Read-Only Memory) do jogo, custaria cerca de US$ 10.000, talvez por isso a empresa deixou esse assunto quieto, e o Easter Egg foi se popularizando.


Atari 2600
Apesar da gerência ter ficado furiosa com a mensagem, Wright adorou, e deu o termo de Easter Egg, por causa do prazer em encontrar os segredos, similar a caça de ovos de páscoa típica dos Estados Unidos. Inclusive ele pediu para que próximos jogos tivessem esses recursos, que em sua maioria eram nomes de desenvolvedores ou iniciais, e era a única forma de crédito que eles tinham.

Claro que após esse fato, encontraram outros games antes de Adventure que possuíam Easter Eggs, mas como ele foi o primeiro a ser descoberto e conseguiu mexer com a forma em games eram desenvolvidos, ele é o game conhecido por isso. Talvez se não fosse por ele, não teríamos Easter Eggs como conhecemos hoje, ou talvez até mesmo não teríamos créditos finais creditando os desenvolvedores dos games.

Fonte: Aperta o X