Qual foi o ultimo jogo que você terminou? Dêem sua opinião/nota

Victal

Viciado
11,044
9,730
I am Setsuna (PS4)
Nota: 7,5

É um JRPG feito pela Tokyo RPG Factory que exala nostalgia. O engraçado para mim é que jogando este jogo percebi que já estou velho o suficiente para sentir nostalgia por duas gerações de jogos. I am Setsuna é nostálgico mas ele lembra mais os JRPGs da era do PS1 do que do SNes como muitos disseram por aí. O legal é que é um game que se sustenta por seus próprios méritos apesar de copiar muito dos elementos de Chrono Trigger como o combate e até as skills. Gostei dos personagens e da história, embora haja um ou outro lance que ficam com uma explicação superficial. Mas acho que o que pega mesmo contra o jogo é alguns sistemas totalmente desnecessários como lojas que somente compram ou somente vendem, skills que você compra na loja que você vende loot, cara esse esquema de lojas do jogo é uma droga. É um jogo relativamente curto, mas recomendo para quem gosta do estilo.
 
  • Curtir
Reações: Edu Barros

Edu Barros

Viciado
PXB Gold
5,249
6,764
Ribeirão Preto
I am Setsuna (PS4)
Nota: 7,5

É um JRPG feito pela Tokyo RPG Factory que exala nostalgia. O engraçado para mim é que jogando este jogo percebi que já estou velho o suficiente para sentir nostalgia por duas gerações de jogos. I am Setsuna é nostálgico mas ele lembra mais os JRPGs da era do PS1 do que do SNes como muitos disseram por aí. O legal é que é um game que se sustenta por seus próprios méritos apesar de copiar muito dos elementos de Chrono Trigger como o combate e até as skills. Gostei dos personagens e da história, embora haja um ou outro lance que ficam com uma explicação superficial. Mas acho que o que pega mesmo contra o jogo é alguns sistemas totalmente desnecessários como lojas que somente compram ou somente vendem, skills que você compra na loja que você vende loot, cara esse esquema de lojas do jogo é uma droga. É um jogo relativamente curto, mas recomendo para quem gosta do estilo.
Comprei esse jogo no Switch, já tentei começar por 2 vezes mas não consegui aguentar mais de 1 hora. Não me cativou.
 

IronLexPM

Viciado
2,712
2,660
Barbacena
Far Cry 5: Gostei do game, é o único da série que consegui terminar. Graficamente não há o que reclamar, está belíssimo rodando no X e não vi quedas de frames ou qualquer coisa que o desabonasse. Capricharam nos cenários, na forma como a vida segue no mundo do jogo( mesmo vc estando ali para destruir tudo), Casas, cavernas, galpões, plantações tudo criado com muitos detalhes. Os cenários são paradisíacos, explosões, perseguições... Tecnicamente, fizeram um grande trabalho.

A localização ficou de primeira, foram muito felizes nas escolhas das vozes, todas casam muito bem com os personagens. Os NPC sempre soltam alguma pérola. Por exemplo, um dos NPCs que me auxiliavam, qdo ferido gritava: " Socorro! Atingiram-me nas partes baixas". Ao socorrê-lo, ele me solta um: " tbm com um alvo grande desse jeito, não é de se surpreender que o acertem com tanta facilidade!". Essa é uma de várias, isso dá uma imersão muito grande pra quem está no controle.

A jogabilidade está outro show! Vc pode pilotar diversos veículos e todos tem a dirigibilidade perfeita, até mesmo helicópteros e aviões que geralmente são um sofrimento, são facilmente controlados. Nos combates, também não tenho nada a reclamar, não teve nenhuma vez em que eu tivesse morrido e não fosse culpa da minha ruindade. Existe uma boa variedade de missões secundárias e diversos secretos no game, que vão desde a easter eggs com filmes / outros games, personagens folclóricos e por aí vai.

Ponto Negativo: Como não joguei os demais, fica difícil ter um parâmetro para comparação dentro da própria série, mas achei o enredo o ponto mais fraco do jogo. Deixando bem claro que está longe de ser ruim, muito longe. Definitivamente, tem seus momentos. Os encontros com os chefões de cada região são um verdadeiro espetáculo, MASSSSSSSSSSSS, entretanto, todavia, senti a falta de algo mais denso, especialmente no final que fiz, achei bem fraco. O personagem não passa de um pau mandado e hora alguma fala, simplesmente obedece. Achei que essa falta de um protagonista mais forte fez falta, mas ainda assim, é um enredo bom.

Jogo também trata de assuntos polêmicos do momento ( na verdade, sempre serão assuntos polêmicos), como acesso a armas de fogo, referências a Donald Trump, a eterna Luta Direita x Esquerda e embora sempre com um toque de humor, não deixa de nos trazer algumas reflexões sobre o assunto.

Resumindo: Gráficos : 10 > Som e Dublagem : 10 > Jogabilidade : 10 > Enredo : 8

Minha Nota: 8,5
 
Última edição:

tric-one

Viciado
573
371
Brasil
Terminei o Rise of Tomb Raider.
O jogo segue a mesma pegada do anterior com uma história muito legal, variedade de coisas para se fazer e gráficos muito bonitos. Os puzzles estão mais elaborados que os do jogo anterior e lembram os puzzles do tomb raider anniversary. Gostei principalmente das tumbas e da parte de fabricar flechas. Só não gostei de duas coisas nesse jogo: A câmera durante os combates deveria ser mais distante e há vezes em que a Lara não agarra nas beiradas ao saltar, mesmo apertando o botão corretamente. Ah, seria legal se houvesse um mapa no cantinho da tela, ia economizar tempo na hora de caçar os coletáveis.
De 0 a 100, pra mim esse jogo é nota 83.
 

Blanka

Jogador
2,346
611
João Pessoa, PB
FI - 2015

5/10 - Desistir

+Gráficos. Os gráficos do jogo são ótimos, bastante realistas.
+Jogabilidade. A jogabilidade do jogo é boa e bastante fluída.
+Som. O som do jogo é bom e simula bem os roncos dos carros.
-Bugs. O maior motivo que me fez desistir de continuar a jogá-lo. O jogo pedia para eu ir no pit-stop na vota 0. Além disso, tinha corrida que eu já começava com todos os pneus com danos severos, sem ao menos ter feito nada. Nisso, quando eu ia para o boxe, o carro saía de lá com os mesmos danos, se quer tinha alguma mudança. Teve uma vez que no primeiro pit-stop eu fui por conta dos danos severos nos meus pneus, quando sair, os danos continuavam, pior, assim que eu saía do pit-stop o pneu furava. E mesmo eu reiniciando o jogo, continuava o mesmo problema, simplesmente desistir.
-Injustiça. Teve muitos casos no qual o outro carro batia em mim e eu recebia o aviso por dano ao outro. Em uma corrida, levei bandeira preta por causa desse erro; os outros carros batiam em mim e eu quem recebia o aviso.
-Problemas técnicos. Eu só conseguia jogar com o controle do Xbox 360 depois que eu conectava o mesmo depois dos créditos iniciais. Apesar de na STEAM dizer que ele é totalmente compatível com controles, sempre eu inciava com o controle plugado o jogo dizia que não suportava o controle e me obrigava a jogar com o teclado (mesmo no modo big picture).

Borderlands

7,5/10

+Jogabilidade. É uma das melhores jogabilidades que já joguei em um FPS na minha vida; a jogabilidade é bastante fluída e precisa.
+Armas. O jogo tem uma variedade boa de armas.
+Diversão. O jogo é bastante divertido, tanto por causa dos personagens/inimigos quanto pelo desafio do jogo.
-História. O problema aqui não é a história em si, mas o modo em como contam ela, vários personagens não têm uma apresentação: são inimigos porque sim. Para mim, essa ideia de contar a história através de áudios e textos foi ruim. Além disso, as missões secundárias são totalmente descartáveis, servem apenas para você ter um motivo NADA A VER para matar alguém.
 
Última edição:

jackzsul EX

Viciado
1,791
968
Terminei State of Decay YOSE.

na época do X360 não joguei, somente há poucos meses me interessei novamente pelo game. Confesso que minha primeira jogada me fez desistir do game devido aos bugs, mas depois de uma segunda chance, só parei de jogar quando "terminei".

O jogo é "dividido" em 3 partes ou expensões e vc pode jogar uma, dar uma pausa e começar a outra sem interferência nenuma. Um save não influencia no outro.

=== Jogo Base ===
Na versão YOSE ou a que está no GAMEPASS vc já conta com diversas melhorias. Por incrúvel que pareça melhoraram muito os bugs e ainda tem aos montes. Nessa versão vc já pode usar a mala do carro como extensão da sua mochila, faz sentido né, mas a novidade só veio na segunda expansão Lifeline. Vc não tem uma história e já começa no meio do apocalipse e depois de 5 missões bem pequenas e fáceis vc já "zerou". Entre essas missões fica a parte de sobrevivência que é o foco do jogo, e bem melhor explorado em Breakdown.

=== Breakdown ===
Sem história apenas sobreviva. Chegue até o nível 10 e simplesmente ficou impossível passar devido as decisões que tomei personagens que perdi, enfim. Essa expansão leva a sério o quesito sobrevivência. Você começa no nível 1. e seu objetivo é sobrevier cumprindo os desafios e por fim deixar o vale num trailer e iniciar o próximo nível que só difere do anterior pelo aumento da dificuldade e escassez de recursos. Falando nisso, no level 10 eu tive que andar muito pra achar um veículo e após ter vasculhado a cidade toda em busca de suprimentos (sim cada construção) ainda estava numa situação muito precária, a ponto de ter que mandar gente embora da base.

A coisa chegou num ponto tão crítico que só havia eu e a Lily na base. Os outros morreram ao sair da base para arrumar suprimentos. Nessa expansão vc aprende a dar valor aquele seu personagem bem evoluído a cada recurso que vc acha. A dificuldade aqui é grande e em segundos tudo munda. vc está de boa fazendo uma busca numa casa e entra um zumbi, vc dá conta dele mas depois vem mais 2, 3, 5 e vc se vê rodeado e acaba morrendo, porque sempre aparece um selvagem ou aqueles grandalhões. A tensão é grande e dar uma de rambo não é a solução.

=== Lifeline ===
Nessa expansão vc está com os militares em outro mapa. Apesar de menor é legal e vc tem aqui um pouquinho de história e acontecimentos. Há civis importantes para resgatar e se vc não se preparar pode ser que volte pra sua base sem eles. Sua base é atacada por ondas de zumbis que crescem e ficam mais difíceis a medida que vc vence o desafio e um detalhe importante, os VIPs que vc resgatou, podem morrer na invasão. A expansão é curta e tem dois finais.


No geral eu gostei muito, ,as é frustrante ver que mesmo na versão do XONE problemas de frame não foram resolvidos, seu carro ainda fica preso no cenário e vc não pula uma pedra que estiver na sua frente. Se o segundo game vier com esses defetos corrigidos e já trazendo a dificuldade que Breakdown mostrou com um pouco de Lifeline não tem como não ser muito bom.
 
  • Curtir
Reações: tric-one

tric-one

Viciado
573
371
Brasil
Terminei e peguei todas as conquistas (exceto as da DLC) do Guacamelee: Super Turbo Championship

O jogo é muito legal e tem algumas partes difíceis. Lembro que quando platinei no PS3 a versão normal do jogo eu passei muita raiva com algumas partes mas dessa vez passei tudo de boa. E olha que eu não lembrava de quase nada, hein! A história do Juan é legal e bem contada, os controles são bons, o jogo tem algumas partes muito engraçadas e os gráficos são bonitos e com cores vibrantes. Apenas gostaria que a luta contra o chefe final fosse um pouco mais longa. De 0 a 100, dou nota 80 para o jogo.
 
  • Curtir
Reações: Edu Barros

Creis92

Viciado
2,869
2,472
Pernambuco
Acabei de zerar o Monster Hunter World... e não estou nada bem. Como um jogo bom desses tem fim? O bom é que tenho um batalhão de coisas pra fazer ainda. Acho que só vou pegar no SOD 2 no fim do ano. [emoji23]

Eu admirava muito a franquia MH. Nunca tive a oportunidade de jogar os anteriores, mas sempre tive vontade. Me agradou mais do que eu esperava. Muito mais. Espero que venham um MH:W2 em algum momento.

Nota: 10.

Enviado do meu SM-J700M usando o app mobile do PXB!
 
  • Curtir
Reações: tric-one

Wenimaths

Viciado
368
348
Natal
Halo 5 - Guardians

Só agora terminei o capítulo que, por enquanto, é o mais recente da saga do Master Chief. No meu parecer, ficarei restrito à campanha. vamos lá:

Bom, começo logo a dizer que me decepcionei um pouco com o game. Mas vamos por partes:
O que mais me incomodou logo de cara foram certas decisões de designer e, principalmente, de som relacionado às armas. Muitas armas como por exemplo a pistola de plasma e a pistola needle, ficaram com um som de disparo muito estranho, sendo que não vejo a mínima necessidade de mudá-los. Foi a primeira vez que me incomodei com questões relacionadas a som em Halo...
Partindo para a campanha, tive a sensação em várias vezes de estar jogando um game de fps genérico que você atira, avança, busca cobertura etc, confinado a um "túnel" (level designer da fase) que lhe dá pouca variedade de opções para cumprir o objetivo. Lógico, Halo 5 está muito acima de um FPS genérico, mas senti uma "perda de essência" da franquia. Também senti falta de momentos épicos e empolgantes nas batalhas.
Quando ao enredo da campanha, não achei ela tão ruim assim, apesar dela não ter a profundidade das anteriores. Achei que a campanha vai crescendo de tom e, de repente...acaba...Sendo a última missão
finalizada com o Spartan Locke (broxei violentamente). Senti um pouco de incomodo de ver Cortana como a vilã do game. Acho que a relação entre John 117 e a ancila foi tão bem desenvolvida no Halo 4, que senti que tudo foi jogado fora; gosto mais dos dois como companheiros.
Quanto aos gráficos, eles são muitos bons, mas não os considero o ápice da qualidade gráfica possível do Xbox One. Tive a leve impressão do Halo 4 (MCC) estar mais bonito graficamente. A arte continua incrível.
Passei por três bugs durante minha jogatina: o personagem ficou preso em uma plataforma e não conseguiu sair, tive que morrer; dois bugs de inteligência artificial - o primeiro avancei sozinho em um caminho fechado e os companheiros não me seguiram, o segundo, no mesmo momento do primeiro, as amigos ficaram sem conseguir me seguir devido a uma pequena caixa no meio do caminho (!).
No mais, Halo 5 ainda é um bom game que talvez tenha decepcionado a maioria dos fãs justamente por seu legado. Talvez nunca vejamos uma campanha tão épica como na trilogia original (ou talvez sim). O protagonismo de Locke me desagradou, ainda prefiro o Master Chief como protagonista, e preferencialmente sem equipe (acho desnecessário para Halo), mas Halo ainda é um game acima da média do gênero. O que me resta é esperar que o Halo 6 seja épico como os fãs merecem!

Nota: 8,0

PS: Joguei um pouco do multiplayer no Warzone e ele parece estar muito doido! (no bom sentido, rs)

---

Finalizei o game em cerca de 9 horas no modo "Heroico"
 
  • Curtir
Reações: Morts

Blanka

Jogador
2,346
611
João Pessoa, PB
Bordelands: The Zombie Island of Dr. Ned

Nota: 7,5

+Jogabilidade. É uma das melhores jogabilidades que já joguei em um FPS na minha vida; a jogabilidade é bastante fluída e precisa.
+Diversão. O jogo é bastante divertido, tanto por causa dos personagens/inimigos quanto pelo desafio do jogo.
+/- História. História OK, sem muito detalhamento, até tenta se arriscar, mas não passa de OK. Infelizmente, ainda contam a história através de textos e áudios, sem cutscene.
 
Última edição:
  • Curtir
Reações: tric-one

The Herdy

Viciado é pouco
PXB Gold
4,082
1,324
Rise of Tomb Raider - Nota: 8
É um bom Tomb Raider e um jogo de aventura acima da média mas é um pouco decepcionante, não teve nenhuma evolução do primeiro parece que eu to jogando mais 15h do mesmo jogo e isso faz com que do meio pra frente o jogo se arraste mto. Fiquei com a mesma sensação que tive em determinado momento da série Batman Arkham, mas recomendo é um jogo muito bom.


Enviado do meu iPhone usando o app mobile do PXB!
 

Morts

Viciado
12,173
6,952
Cotia
Terminei uns dias atrás GOW no PS4...os haters me desculpem, mas que jogo bicho...Fazia tempo q não sentia isso em um game...e nessa geração ainda não senti nada parecido do lado da MS.
Nota: 11/10

Apos terminar GOW fica aquele sentimento de que nada vai agradar, então dei uma encostada no PS4 e fui matar o blacklog no xone.

Terminei novamente halo was 1 a versão do Xone e apesar de ser um jogo antigo eu gosto dele.
Por não ligar para conquistas no xone, eu só terminei o jogo e ja apaguei do HD.
Nota 7/10

Fui pro Halo Wars 2 e apesar de ter curtido eu achei o jogo graficamente feio...po MS é um RTS, podia ter caprichado no jogo...Umas CG's feias q doi cara...
Em outras partes temos umas cgs lindas...vai entender?
Apesar de tudo isso a historia do jogo é bem bacana...posso dizer q é melhor que halo 5...e gostei do Atroix...bem bacana.
Ainda não terminei o jogo, mas faltam apenas 2 missões...Nisso tbm acho q o jogo pecou...são 12 missões e elas são bem curtas.
Reparei que tem um modo que usa cartinhas, passarei longe...
Como não terminei, mas como vi 80% do jogo, posso dar um 6,5/10, pq achei ele um pouco inferior ao halo wars 1.

Terminando o halo wars, devo avançar um pouco mais no Super Lucks Tails.
Eu gostei de luck tails, mas é um jogo bem bobinho e dificuldade zero, vou finalizar só por finalizar mesmo.

To mantando todos exclusivos do xone pelo gamepass...vamos q vamos.
 

Creis92

Viciado
2,869
2,472
Pernambuco
Acabei de concluir o Vanquish. Gostei da pegada de Gears dele, apesar de eu ter achado ele melhor e mais frenético. A ambientação sci-fi dele também é muito boa.

Quem diz que Bayonetta é a melhor obra da Platinum está enganado. Vanquish é bem melhor.

Tem seis problemas como a IA extremamente burra dos companions. E o cover que te magnétiza na superfície e só falta não soltar mais.

Mas eu adorei o jogo. Espero que os rumores de um 2 serem verídicos.

Nota: 8

Enviado do meu SM-J700M usando o app mobile do PXB!
 
  • Curtir
Reações: tric-one

Bloodwill

Novato
108
43
Terminei hoje Alan Wake pela retro.
É um jogo diferente dos habituais survivor horrors, é algo surreal, assim como sua inspiração nos contos de Lovecraft.
O jogo começa quando uma entidade da escuridão rapta sua esposa e você se vê forçado a escrever uma história e viver nela como o protagonista tentando impedir que a escuridão domine a cidade de BrightFalls.
A jogabilidade é bacana com o uso de uma lanterna para iluminar a escuridão de seus inimigos, para só assim poder matá-los. Existem poucos tipos de armas, porém, são o suficiente para seu avanço na história, que te prende do Inicio ao fim, sendo que é dada por capítulos.
Eu recomendo o jogo 8,0
 
  • Curtir
Reações: Edu Barros

tric-one

Viciado
573
371
Brasil
Acabei de terminar e milar o Assassins Creed Syndicate.
A história do jogo não tem começo, tem um meio mal explicado e um ótimo fim. Calma, eu explico:

O jogo começa mais ou menos assim: "Esse é o Jacob. Essa é a Evie. Eles são irmãos gêmeos e moram em Londres. Ah, eles são assassinos, hein?" Bem nesse estilo mesmo, sem introdução nem nada. Em todos os outros Assassin's Creed os personagens tem boas introduções, nesse aqui simplesmente não teve introdução. O desenrolar da história foi tedioso com muitas missões com objetivos secundários mal explicados ou que aparecem muito em cima da hora. Perdi as contas de quantas vezes eu comecei uma missão, matei um inimigo e um segundo depois apareceu a mensagem "não mate tal inimigo", legal, né? A última missão do jogo é a única que achei realmente boa. Curiosamente, ao ler reviews de alguns sites, li que tais sites consideraram a história boa mas o final ruim. Eu achei exatamente o contrário: A história é ruim e o final é ótimo.

A movimentação no jogo teve algumas melhorias como o gancho para escalar (não sei como isso foi traduzido, eu não joguei em português) e a descida rápida dos prédios. O problema acontece quando o bicho pega... Na hora dos combates, Jacob e Evie mostram os erros da Ubisoft. Os assassinos são capazes de escalar prédios, correr, nadar, carregar corpos e um monte de coisas que fazem inveja a um atleta olímpico, mas eles não podem empurrar as pessoas. Perdi a conta de quantas vezes eu tinha que matar um alvo, tinha alguma pessoa na minha frente e os protagonistas simplesmente paravam. Aff... Os combates tem um sistema de combos e contra ataques bem legais, o problema é que eles são longos e assim se tornam repetitivos e enjoativos. É normal logo no segundo ou terceiro golpe os protagonistas darem uma facada no pescoço do inimigo e ainda assim ele não morre. Oras, seria bem mais rápido e legal se os combates fossem mais rápidos. Outra coisa que não gostei na movimentação foi dirigir carruagens em Londres. As ruas são abarrotadas de tudo: Crianças, pessoas paradas, policiais conversando, carruagens estacionadas e cavalos empacados. Dirigir sem atropelar ninguém é um fardo. É mais rápido ir a pé do que de carruagem.

Os gráficos do jogo são "bons". Bons está entre aspas porque há um paradoxo: Enquanto que as paisagens e rostos dos protagonistas são bem feitos, o mesmo não digo dos NPC's. Todos eles tem a mesma cara, cheio de serrilhados e modelos gráficos no estilo sexta geração. A Ubisoft podia tem caprichado um pouco mais nisso.
Bem, é isso. O jogo num geral é ruim com alguns lampejos de bom. Enquanto jogava fiquei pensando se esse ou o Assassin's Creed Revelations seria o pior jogo da série. Mas aí lembrei que o Revelations tem um multiplayer bem legal (joguei por meses aquele multiplayer). E por isso, Assassin's Creed Syndicate ganha a coroa de pior jogo da série. Não recomendo a compra. Caso você seja fã da franquia e queira saber da história, procura uma promoção, ou vê se consegue emprestado. Eu peguei nos games with gold, mas se fosse pra comprar, 40 reais já está caro.
Nota: 35/100
 
  • Curtir
Reações: Bloodwill

Blanka

Jogador
2,346
611
João Pessoa, PB
Bordelands: Mad Moxxi's Underdome Riot

Nota: 6,0

Um "modo horda" bem meeeh, jogar com os amigos deve ser divertido...ou não. Os mapas dessa DLC são péssimos, principalmente o segundo, Foi uma tortura, mas conseguir completar os três mapas sozinho.

Borderlands: The Secret Armory of General Knoxx

Nota: 6,0

DLC muito chata, principalmente pelo fato de não ter fast travel, missões absurdamente longes. Além disso, missões secundárias super chatas e cansativas, principalmente pelo fato de serem ABSURDAMENTE LONGES!!!!

Borderlands: Claptrap's New Robot Revolution
Nota 6,0

Mesmo problema das anteriores, no entanto, vale ressaltar que essa tem as piores missões secundárias da serie toda, horríveis!
 

Wenimaths

Viciado
368
348
Natal
RIME

RIME é um daqueles jogos que você deve mostrar para aquela pessoa que acha que vídeo-games não têm nada a ver com arte. O visual do game é belíssimo - várias vezes parei para admirar os cenários - e casada com a trilha sonora, trazem muitos momentos capazes de tocar o coração de qualquer ogro.
Os puzzles, apesar de simples, são razoavelmente interessantes, principalmente os relacionados a jogos de luzes e sombras, noite e dia. Mas na maioria das vezes a dificuldade será só descobrir para onde você deve ir. O que pode incomodar um pouco é que o personagem só corre quando "quer", que pode ser chato ficar andando devagar pra um lado e pro outro.
Entendi RIME como uma experiência única, bem característica das jogos indies. A história é interpretativa, faz você ficar pensando o que está acontecendo, mas o final é bem claro (você sentirá um nó na garganta).

+Arte
+Trilha sonora
-Puzzles simples

Nota: 8,5

---
RIME está disponível no Gamepass
 

Victal

Viciado
11,044
9,730
God of War (PS4)
Nota: 10/10

É um exemplo perfeito de como uma franquia pode ser reinventada em todos os aspectos e ainda preservar a sensação de pertencer a série. Jogabilidade perfeita, fluída e viciante. Personagens muito bem desenvolvidos, multidimensionais como nunca se viu na série. Uma história surpreendente do começo ao fim com um gancho no final estupendo. Um dos menores jogos da geração para mim.
 

tric-one

Viciado
573
371
Brasil
O tópico chama "qual foi o último jogo que você terminou" e por isso eu não sei se já seria a hora de dar minha opinião sobre o Mortal Kombat X. Digo isso pois, como sou fã da série e como o jogo tem modo online, ele é, para mim, um jogo sem fim. Pretendo jogar até conseguir terminar a torre no modo mais difícil com pelo menos uns 10 lutadores, sem perder rounds e fazendo combos de no mínimo 30% com cada (combos sem x ray e sem especiais enhanced). Depois que eu conseguir essa façanha, aí sim posso dizer que terminei o jogo. No entanto, como já peguei quase todas as conquistas, já fechei o modo história e apesar de ainda estar engatinhando com o Scorpion e a Kitana (só sei jogar com esses 2 por enquanto) e já venço mais de 80% das lutas online, acredito que já posso dar minha opinião sobre o jogo. E lá vamos nós!
O jogo tem muitas melhorias em comparação com o predecessor: Os gráficos estão muito bonitos, a fluidez da luta é muito boa, há estabilidade nos FPS (isso é fundamental em jogos de luta) e há uma grande variedade de lutas: Há partidas, por ranking, normais, cada lutador tem 3 variações, cada um tem 5 fatalities, há brutalities, mortes por facção, desafios online, ufa! Um montão de coisas! Os fatalities estão ótimos, do jeito que eu gosto: Bem sangrentos e nojentos. Brutalities nem se fala. Foi muito boa essa ideia de colocar os brutalities nas lutas.
Nem tudo são flores: Não gostei da escolha de muitos lutadores. Lutadores novos como Jacqui Briggs, Cassie Cage, Kung Jin, Dvorah e Bo'Rai'Cho ficaram toscos e são completamente desnecessários. Jacqui e Cassie parecem que entraram no jogo apenas para agradar o público dos EUA. Há uma parte no jogo que elas se gabam por terem lutado nas guerras do Iraque. Só faltaram falar "Por que nós, soldados dos EUA vamos salvar o mundo dos comedores de criancinhas! Deus salve a América" - Mais tosco e forçado, impossível. Bo'Rai'Cho foi pessimamente representado como um tiozinho pinguço e porco. Para terem ideia, há um golpe que ele peida no adversário (???). E a Dvorah é uma daquelas personagens que não sentirei a menor falta em futuros jogos da série. Senti falta de personagens do antigo Mortal Kombat. Kabal, Nightwolf, Baraka, Rain, fazem MUITA falta nesse jogo. Tiraram até a minha amada Jade (sniff). Em pensar que eu fazia combos de 50% com ela no último Mortal Kombat. E tiraram as lutas em duplas! Eram tão legais...
Quero fechar esse depoimento tirando meu chapéu para o pessoal da Microsoft, Netherrealm e Warner Bros pelo modo online desse jogo. Quando eu jogava MK9 no PS3, nunca conseguia me conectar a quem estivesse distante de mim. Moro em São Paulo SP e raramente conseguia jogar com quem estava em Campinas. Li em vários lugares que os servidores do jogo eram ruins e que a PSN pior ainda. Já no Xbox One consigo jogar numa boa com caras que estão nos EUA, Europa e África. Tentei jogar com um cara que mora na Rússia, próximo à Mongólia. A partida entrou mas caiu. Mas se eu exigisse uma luta boa e sem lag nesse caso eu estaria forçando a barra.
Nota: 87/100 Um jogo muito bom, mas se colocassem mais lutadores do jogo anterior e o modo de luta em duplas, seria muito melhor.
 

CaioNF

Novato
840
643
Wolfenstein: The New Order
Nota: 9/10

Fazia tempo que tinha comprado e peguei pra jogar faz algumas semanas. Shooter muito competente, um dos melhores fps que joguei. A história é muito boa, só precisava aprofundar um pouco os personagens, principalmente o William. Não recomendo pra quem tem estomago fraco, tem umas cenas bem fortes.