Resumo Resumo da Semana Xbox #134 - 22 a 26 de fevereiro

ronabs

opa
Moderador
Novembro 8, 2010
17,052
40,944
Medalhas
1
Porto Alegre
Oi, pessoal.

Até a metade da semana, pouca coisa aconteceu; na segunda metade, a coisa acelerou, parece que fazem de propósito só pra eu pensar que vai ser de boas fazer o resumo pra, no fim das contas, correr atrás do relógio. Mas, vamos lá: tivemos a adição de novos jogos no Xbox Game Pass, como sempre, mais alguns anúncios para as próximas semanas; um texto bem interessante sobre o andamento do desenvolvimento de Halo Infinite, focando agora no mundo expansivo de Zeta Halo (com direito a áudio secreto escondido); James Gwertzman, um cara que mais gente vai passar a ouvir daqui pra frente, falando sobre as possibilidades que o cloud vai oferecer a jogadores e desenvolvedores; Minecraft Dungeons recebendo DLC pago e atualizações gratuitas; a BioWare confirmando o cancelamento de Anthem Next, uma espécie de "reboot" do jogo; uma entrevista com a head dos estúdios da EA, falando sobre como a publisher espera dar mais liberdade aos estúdios para trabalharem com suas IPs; mais um assunto da EA, agora com três jogos chegando ao EA Play nos próximos meses; Free Play Days com Diablo III e Nickelodeon Kart Racers 2; a atualização semanal do Microsoft Rewards e Xbox Game Pass Quests, última oportunidade de fevereiro para garantir seus pontos; Deals with Gold com mais um saldão de Assassin's Creed; os lançamentos desta e da próxima semana; e alguns links de assuntos relacionados a Xbox e videogame como um todo, tem uns vídeos bem legais lá que vale a pena conferir.

Boa leitura.

.
.
.


DIRT 5 E ELITE DANGEROUS SÃO OS DESTAQUES DA SEMANA NO XBOX GAME PASS
Dirt-5.jpg

Em uma semana mais tranquila para o Xbox Game Pass, tivemos a adição de quatro jogos ao catálogo do serviço, e novidades sobre outros quatro jogos que estarão chegando no futuro. Primeiro, os jogos disponíveis: Dirt 5 (console/PC) foi lançado recentemente até, um dos títulos de lançamento dos consoles da nova geração, e oferece aos jogadores a possibilidade de encarar muito barro, lama e sujeira em corridas off-road, com várias localidades (incluindo o Brasil) e veículos reais e customizáveis, comecei a jogar e até que gostei, e preferi deixar a câmera com a visão interna do cockpit mesmo, parece que dá mais emoção porque a visão é mais embaçada, quando está atrás de outros carros em terra batida é uma poeira que só e a gente não vê nada, enfim, tem mais emoção hehe; Elite Dangerous (console) é um massivo simulador espacial que replica o universo em escala 1:1 e que recebeu dezenas de atualizações ao longo dos anos, pra quem gosta de exploração espacial, exploração no geral ou até mesmo pra ver algumas paisagens muito bonitas pelo caminho, com planetas e estrelas, é um prato cheio; Cricket 19 (PC), jogo de críquete que já estava no console e agora também está no PC; e, por fim, Superhot Mind Control Delete (PC) já estava no catálogo do console e agora chega pro pessoal do Windows 10 também, é um FPS que tem como diferencial a mecânica de movimento: o tempo só avança quando a gente se movimenta (mais ou menos, se fica parado o tempo passa beeeem devagar), fazendo com que a estratégia tenha que ser bem planejada pra desviar das balas e destruir os inimigos de vidro. Além disso, tivemos novidades sobre alguns jogos que serão lançados no serviço em breve: Narita Boy é bem diferente, tem um estilo muito bonito de pixel art, e chega em 30 de março; já Project GR, Little Witch in the Woods e Vapor World: Over the Mind são jogos coreanos e chegarão ao catálogo em algum momento da vida. Então, por enquanto, temos dois jogos confirmados no serviço em março: Yakuza 6: Song of Life (25) e Narita Boy (30). E o EA Play, anexo do Xbox Game Pass Ultimate, confirmou a chegada de Madden NFL 21 no dia 3 de março, então, é mais um jogo aí pra assinantes Ultimate (o EA Play é um benefício extra aos assinantes dessa categoria do Xbox Game Pass). Pra quem quiser saber mais sobre o Xbox Game Pass, como o programa funciona, os jogos disponíveis, quem entra, quem sai, temos dois tópicos aqui no PXB (Xbox Game Pass/console e Xbox Game Pass/PC) com todas as informações sobre os serviços.

INSIDE INFINITE - ATUALIZAÇÃO DE FEVEREIRO + APOIO DA THE COALITION
hi_campaign_sniper_4k-e327d439d8714ed481c5de4b1b7fcc81.png

A 343 Industries comentou que seria mais transparente com a comunidade, divulgando informações novas sobre Halo Infinite de maneira mais constante, e a 343 Industries está cumprindo com esse acordo, com mais um post no blog Halo Waypoint que trata do desenvolvimento do próximo jogo do Master Chief. Depois de falar sobre arte, gráficos, online e sandbox, chegou a vez de compartilhar talvez a maior novidade desse jogo, o mundo expansivo de Zeta Halo, que poderemos explorar por completo. Os desenvolvedores John Mulkey, Justin Dinges e Troy Mashburn foram os responsáveis pelo conteúdo do post, e Dinges cita que a equipe focou em duas palavras: legado e simplicidade. "Legado" para que os jogadores possam ter uma experiência que relembre como foi visitar Halo pela primeira vez, e "simplicidade" em relação ao design mais barulhento (aquele modernoso tech de Halo 4-5 que eu, particularmente, não gosto também) dos jogos mais recentes, ou seja, uma mudança bem grande de retorno às origens da franquia. Outras palavras que orientam o desenvolvimento, para Mashburn, são "Super Soldier", "Story Driven" e "Spiritual Reboot", que são como objetivos do que a equipe pretende alcançar e servem de filtro para saber o que se encaixa realmente com Halo Infinite. Dinges reforça que, do ponto de vista artístico, Halo Infinite quer ser tanto um aceno de boas-vindas aos novatos da série, mas também um abraço apertado pra quem se lembra com carinho dos antigos Halo (ele não falou isso de "abraço apertado", mas foi nesse sentido), voltando a ter aquele senso de descobrimento e mistério que os jogos antigos tinham e que foi se perdendo um pouco ao longo dos anos.

Sobre o mundo de Zeta Halo, como já foi dito, ele será bem grandioso e explorável, e por isso, a 343i está investindo bastante tempo para preencher esse espaço com conteúdo e vida. Até por isso, Zeta Halo é considerado um dos personagens do jogo, tornando-o mais do que um cenário do jogo, mas um ambiente físico real, que existe há muitos anos, muito antes de Master Chief, e que agora foi ocupado pelos Banished, causando consequências visíveis, além de dar um sentido narrativo de Zeta Halo para a história. E, como já havia sido confirmado, Zeta Halo terá um ciclo de dia e noite, com novas possibilidades para explorar o seu território, que pode ser alterado de acordo com o horário em que executarmos determinadas ações. Ah, e por falar em ações, a 343i sabe que os fãs de Halo gostam de fuçar em tudo, e escondeu um áudio dentro desse post no blog que os fãs, obviamente, encontraram, com uma conversa entre um home, a Dra. Halsey e Master Chief, logo após os acontecimentos de Halo 5. Vou deixar a transcrição abaixo:

Halsey: Quantos agora?
Man: 16 sistemas desligados até o momento, aparentemente localidades aleatórias. Estou tentando trancar ela e os outros fora do...
Halsey: Você não vai conseguir fazê-la parar. Ela sabe mais sobre como isso funciona do que, bem... todos.
Master Chief: Dra. Halsey.
Halsey: John.
Master Chief: Qual é o plano?
Halsey: O plano? Agora, estamos em modo de sobrevivência, novamente. A mensagem da Cortana se espalhou pela galáxia, muitas IAs autoconscientes estão se aliando a ela.
Master Chief: Contra nós?
Halsey: Sim. Mas talvez não contra você. Me diga, John, qual foi a última coisa que ela te falou?
Master Chief: Ela disse... adeus.

Ainda sobre Halo, mas um pouco na tangente, saiu na Game Informer que desenvolvedores da The Coalition estariam ajudando no andamento de Halo Inifnite, conforme descrições do LinkedIn de algumas pessoas. A Microsoft respondeu dizendo que "assim como já fizemos no passado, a The Coalition colaborou com o desenvolvimento de Halo Infinite de forma temporária. É bem comum que membros dos vários estúdios da Xbox Game Studios emprestem seus conhecimentos aos jogos que outras equipes estão trabalhando, da mesma forma que membros da 343i contribuíram com outros jogos da XGS ao longo dos anos. Esta capacidade de compartilhar talentos é uma das forças da XGS, e somos gratos por todos que contribuíram para de Halo Infinite o melhor jogo possível". Então, se você topar com essa notícia por aí e se preocupar com o estado do jogo, "como assim um estúdio gigante como a 343i precisa de ainda mais ajuda além do que já tem confirmado", pode ficar tranquilo que isso é normal, e vai ao encontro do que o Matt Booty pensa acerca das equipes, aproximando-as para que todos possam se ajudar em algum momento. Nos links abaixo, tem o post original (em inglês, com bem mais assuntos sobre as consequências da introdução de novos equipamentos, como vai funcionar o modo cooperativo e o que isso vai gerar de diferente em Zeta Halo, entre outras coisas, além de muito mais imagens em alta resolução sobre o andamento do desenvolvimento) e um resumo do Xbox Power também, que usei de referência pra agilizar a parada aqui.
(Halo Waypoint, Xbox Power)

JAMES GWERTZMAN - CLOUD VAI POSSIBILITAR EXPERIÊNCIAS ATÉ ENTÃO IMPOSSÍVEIS
project_xcloud_artHD-2060x1266-1.jpg

Apesar de parecerem o caminho lógico dos videogames, jogar na nuvem ainda não é tão disseminado e talvez nem tão bem visto pelo público, já que a tecnologia está em construção e saídas de empresas, como o Google recentemente, podem questionar um pouco a viabilidade do meio como um todo (por mais que a culpa nesse caso seja toda do Google). Mas iniciativas como a PlayStation Now, GeForce Now e Luna (em early access), além do já lançado streaming do Xbox Game Pass Ultimate estão ganhando espaço, principalmente o serviço da Microsoft, feito todo no Azure e utilizando as tecnologias da PlayFab, que a Microsoft adquiriu há três anos. Inclusive, a importância desta última é tão grande que o co-fundador e ex-CEO da PlayFab, James Gwertzman, agora é General Manager de Gaming Cloud na Microsoft, e conversou recentemente sobre alguns aspectos da tecnologia como um todo, especialmente as novas possibilidades que ela trará. Segundo ele, a indústria possui alguns cenários prioritários, pontos que o mercado como um todo se importa e que pode ser um problema se não for resolvido logo: "o primeiro na nossa lista de cinco é acelerar a produção de jogos na nuvem. Essa etapa de criação de conteúdo, quando você já tem ela na nuvem, torna a distribuição mais fluida. Vemos isso com o xCloud. Começou empilhando consoles Xbox One em datacenters e fazendo streaming a partir deles. Agora, estamos mais experiências com ele, e você poderá criar experiências de jogos que não seriam possíveis se não estivessem rodando na nuvem. Jogos onde você pode ter vários jogadores em um mesmo ambiente, interagindo de diferentes maneiras". Gwertzman também cita o "pixel streaming", onde GPUs são executadas diretamente na nuvem, fazendo seu posterior streaming, algo que inicialmente pode beneficiar outros mercados, como arquitetura ou varejo, quando estes precisarem criar experiências 3D, por exemplo, mas que não possuem o hardware adequado pra fazer isso.

Outro exemplo de aplicação é a possibilidade de utilizar a nuvem para recriar vozes, facilitando o trabalho de desenvolvedores, especialmente independentes: temos tecnologia de reconhecimento de voz onde podemos gravar e ouvir algumas horas de alguém falando, e então construir um modelo que pode reconstruir esta voz da maneira que quisermos. Quando você pensa nisso em um contexto de deep fakes, é muito preocupante; mas quando você pensa no seu uso para a escolha de elenco nos jogos, isso pode permitir que desenvolvedores independentes com pouco orçamento criem centenas de horas de diálogos. Mais do que isso: colocar computadores falando e utilizando inteligência artificial em qualquer voz que você quiser, você pode construir experiências muito criativas". Por mais que os nossos olhos estejam mais voltados para a aplicação em jogos, afinal, somos fãs de videogame, é legal ter um pouco de como essa tecnologia em nuvem pode facilitar a vida de todo mundo e criar coisas diferentes do que temos hoje.
(Wccftech)

MINECRAFT DUNGEONS - OTIMIZAÇÕES X|S, DLC FLAMES OF THE NETHER E UPDATE GRATUITO
MCD_FlamesOfTheNether_Hero.jpg

Seguindo a lógica de manter seus jogos atualizados e oferecer um excelente suporte pós-lançamento, mais um jogo da Xbox Game Studios recebeu novidades nesta semana: Minecraft Dungeons lançou um novo DLC pago, fez uma grande atualização gratuita e foi até otimizado no Xbox Series X|S, então, vamos por partes. Primeiro: Flames of the Nether adiciona um novo reino ao mapa do jogo, com seis novos níveis (com alguns segredos dentro deles) para os jogadores explorarem sozinhos ou em modo cooperativo local ou online, com novos inimigos e chefes, e também novas armas, equipamentos e itens cosméticos, algo que já é padrão dos outros DLCs do jogo. E algo que sempre vale lembrar é que a Mojang Studios e a Double Elevem trabalham essas expansões pagas da seguinte forma: quem compra o DLC pode convidar alguém que não tem o jogo pra jogar junto nessas novas áreas, sem a necessidade de todas as pessoas comprarem, fazendo com que a base de usuários não seja dividida toda vez que uma nova atualização surge - um jeito bem esperto de manter a comunidade ativa e mais unida. Além disso, tem também a parte gratuita da atualização, que contempla as seguintes novidades disponíveis para todos: o modo Apocalypse Plus terá seus níveis condensados (de 20 pra 10), adicionando outros 15 níveis e aumentando o poder máximo do jogador para 250; introdução das Ancient Hunts, o endgame do jogo, onde será possível utilizar pontos de itens e encantamentos para criar níveis procedurais com bastante fator replay, novos desafios, inimigos mais difíceis e chances de encontrar os equipamentos mais poderosos do jogo (Gilded); adição do Pilglin Merchant, um novo vendedor no acampamento, que vende todo tipo de coisa, mas somente com uma moeda, o Gold, que também será introduzido no jogo como essa segunda moeda junto das esmeraldas - pra conseguir Gold, tem que completar as Ancient Hunts ali; novos encantamentos para armas e equipamentos, inclusive com encantamentos para os pets; e também diversas correções de bugs e melhorias de desempenho. Por fim, Minecraft Dungeons é mais um jogo que recebeu otimizações no Xbox Series X|S: no Series X, o jogo roda agora em resolução 4K e 120 fps; já no Series S, a resolução é de 1440p e o frame rate é de 60 fps. Vale ressaltar que esses números podem sofrer oscilações, e serão reduzidos enquanto estiver rolando uma partida cooperativa para quatro jogadores. De qualquer forma, é uma atualização bem-vinda pra quem já jogou experimentar de um jeito diferente, e pra quem ainda não jogou, aproveitar tudo o que Minecraft Dungeons tem a oferecer.
(Minecraft, Windows Central)

BIOWARE INFORMA O CANCELAMENTO DE ANTHEM NEXT
586cd140a224fa421d41924f44427565.jpg

Pouco mais de dois anos após o lançamento, o que era pra ser o jogo mais ambicioso da história da BioWare escreveu seu último capítulo. Anthem começou com expectativas na lua, um jogo que viria para ditar os rumos dos jogos de ação e tiro multiplayer, criado por um dos estúdios mais renomados da história por conta de seus excelentes trabalhos em RPGs. Mas a combinação de um desenvolvimento conturbado (olhando hoje, pode parecer loucura, mas a opção de voar era adicionada e removida das builds do jogo constantemente), envolto em volta da "mística BioWare" (mesmo que tudo esteja meio balançando, no final dá tudo certo), um lançamento bastante criticado e um ritmo de atualizações que ficou abaixo de outros expoentes do gênero, como Destiny (Bungie) e Tom Clancy's The Division (Ubisoft) fizeram com que a Electronic Arts repensasse os planos para o jogo. Logo após o lançamento, uma equipe de cerca de 30 pessoas foi designada a fazer uma reformulação completa do jogo, tornando-o mais propenso a receber atualizações constantes e alterando até mesmo algumas mecânicas e o funcionamento básico do jogo. Essa galera ficou mais de um ano e meio focada nisso, enquanto o restante da BioWare estava ocupada com os novos jogos da franquia Dragon Age e Mass Effect, além da trilogia remasterizada de Mass Effect e do MMORPG Star Wars: The Old Republic. No início deste mês, veio a público que os executivos da EA fariam uma reunião para avaliar o estado do novo desenvolvimento, chamado internamente de Anthem Next (o nome não ia mudar, era só o nome do projeto mesmo), e na tarde de quarta-feira, a decisão foi comunicada a todos - inclusive para os desenvolvedores, que estavam trabalhando no jogo na parte da manhã. Com isso, o desenvolvimento de Anthem está concluído e os responsáveis pela remodelação serão agora remanejados para outras equipes, mas isso não quer dizer que o jogo vai deixar de existir. Em um post no blog do estúdio, Christian Dailey (diretor da BioWare Austin) confirmou que o jogo vai ficar online da maneira que é hoje, ou seja, quem gostar e quiser continuar jogando vai poder tranquilamente. Dailey ainda comenta como 2020 foi um ano particularmente complicado, com a pandemia impactando muito os processos e na produtividade da BioWare, e o planejamento anterior não pode ser colocado em prática neste momento, nestas condições, sem colocar uma carga muito grande de estresse nas equipes.

Saindo um pouco da notícia, como alguém que gosta da BioWare por conta de seus trabalhos passados, não deixa de ser um sinal de alerta porque a gente conhece a EA e sabe como ela gosta de matar estúdios que não geram o retorno esperado, e que volta e meia gente como a BioWare ou a finada Visceral Games eram comparados a mastodontes como FIFA e Madden, e até por isso, a BioWare tentou sua cartada na criação de um jogo online que fosse vivo e pudesse gerar receitas constantes. Sendo assim, a pressão em cima do estúdio aumenta ainda mais, já que Mass Effect Andromeda também ficou abaixo do esperado - e, fazendo um exercício de futurologia, acredito que vale a Microsoft começar a ficar de olho na real situação da BioWare, porque se houver uma possibilidade do estúdio ser terminado igual a tantos outros dentro da EA, seria uma boa oportunidade de adquirir uma equipe que já foi bem mais próxima da Xbox Game Studios e fortalecer ainda mais as equipes de RPGs da Microsoft. É viagem minha, eu sei, mas a quantidade de aquisições de estúdios por todos os lados recentemente mostra que esse tipo de coisa pode ter uma chance não tão remota assim de acontecer. Não estou torcendo pra isso, longe disso, tomara que os próximos Dragon Age e Mass Effect sejam muito bons, mas é sempre bom ficar ter uma visão mais de cima, pra ver a coisa toda, por mais que vários nomes tenham saído do estúdio ao longo dos anos, ainda é uma marca forte e que conta com grandes IPs especialmente em RPGs.
(BioWare)

EA COLOCA O FUTURO DE SUAS IPS NAS MÃOS DOS ESTÚDIOS + DRAGON AGE 4 SINGLE PLAYER
EvBmvhuXIAw9QLb

Pode parecer até contraditório colocar essa notícia logo após a do cancelamento da atualização de Anthem, mas vem comigo que faz sentido. Em uma entrevista para a IGN americana, Laura Miele, Chief Studio Officer da EA, comentou sobre os planos da publisher, que conta com mais de 6 mil desenvolvedores: colocar o jogador no centro das prioridades, se afastando da noção estabelecida de que tipos de jogos eles devem investir e, no lugar disso, começar a escutar os jogadores e incorporar seus desejos no desenvolvimento - foi assim que vimos o anúncio de um novo Skate, os retornos de Command and Conquer (naquelas) e NCAA, os conteúdos gratuitos de Star Wars Battlefront 2 e a trilogia remasterizada de Mass Effect. Isso é importante porque muita gente enxerga a EA como aquela empresa que mata estúdios que não consigam trazer lucros absurdos iguais aos de FIFA e Madden, e confesso que também acho isso, mas é legal ver que eles (aparentemente) estão dispostos a mudar essa percepção. Mas ter foco no jogador não significa que eles vão fazer todos felizes 100% do tempo, citando o caso da BioWare com Anthem mesmo, com a pandemia impactando o desenvolvimento e o estúdio tocando outros projetos, eles precisaram decidir um foco nos novos jogos, e também da DICE, que conseguiu seguir a vida pra salvar Battlefront 2.

Outra franquia que Miele cita é Titanfall, que esta franquia deixa um gostinho de quero mais, de que pode conquistar mais espaço, mas reforça que a Respawn está focada e feliz com Apex Legends, que se passa no universo do jogo e não deixa de ser um legado da IP que segue vivo: "a equipe vai determinar o que o futuro reserva para Apex e Titanfall. Eu não acredito em direcionar ou dizer aos times o que eles devem criar, isso tem que vir da comunidade e da inspiração e motivação dos desenvolvedores". Apex Legends não é meu tipo de jogo, adorei Titanfall 2, e a diferença de recepção e adesão da comunidade (especialmente) mostra que, apesar de existir uma demanda por mais Titanfall, Apex é o queridinho da vez. E Miele ainda comenta sobre formas como a EA recebe esse feedback, seja por análise direta de relatórios, mídias sociais (exemplificando que em toda postagem da EA, sempre tinha alguém lá falando "#skate4", e também de seus próprios desenvolvedores e membros da comunidade. Quando ela assumiu a posição de executiva dos estúdios, fizeram uma reunião com as equipes: "uma das primeiras coisas que fiz nos 100 primeiros dias no meu cargo como head dos estúdios foi passar um tempo com os líderes de comunidade de algumas de nossas principais franquias. Eu perguntei para eles qual o melhor conselho para termos uma conexão melhor com nossos jogadores. O principal tema era - por favor, escute a gente sobre o conteúdo que os jogadores pedem, e que resultou na aprovação de Skate, College Football, Command & Conquer e conteúdos adicionais para Battlefront 2. Nós colhemos essas ideias e isso nos dá um senso do que os jogadores estão gostando ou não, e os nossos líderes de estúdios trabalham com as equipes para determinar como priorizar e endereçar esse feedback direto". Tomara que esse futuro seja realmente verdade, a EA tem muitas IPs fortes e, há um tempo atrás, tinha um portfólio de jogos bastante diversificado em todos os estilos praticamente, algo que foi sendo deixado de lado com o passar do tempo para priorizar jogos com uma pegada online/serviço. Por outro lado, iniciativas como o EA Originals nasceram no meio desse bolo todo, dando um ar de esperança de que a EA pode não ser essa malvadona que todos acham que ela é. Inclusive, segundo o Jason Schreier, o cancelamento de Anthem Next e o sucesso de Star Wars Jedi: Fallen Order foi decisivo para a EA permitir que o próximo Dragon Age seja um RPG single-player, mudando o planejamento do jogo, que seria um daqueles games as a service.
(Bloomberg, IGN)

MADDEN NFL 21, STAR WARS SQUADRONS E NHL 21 CHEGANDO NO EA PLAY/GAME PASS ULTIMTE
apps.62093.71371953440216666.83503d4e-3e4c-421e-aeef-82d104548bc2.6a0c7a4c-867e-41b3-8461-73f4dee499ce

Fechando a trinca de notícias envolvendo a Electronic Arts, a publisher divulgou um calendário dos próximos jogos que chegarão ao EA Play nos próximos meses, e que assinantes Xbox Game Pass Ultimate também poderão aproveitar como um benefício extra da assinatura. O primeiro deles é Madden NFL 21, jogo de futebol americano que chega no embalo do Super Bowl que aconteceu há algumas semanas e que tem conquistado cada vez mais público em outros países do mundo, inclusive aqui no Brasil. Madden NFL será adicionado ao catálogo no dia 2 de março. Ainda em março, teremos outra edição, esta bastante interessante, que é Star Wars Squadrons, jogo de combate espacial que foi lançado no último trimestre de 2020 e que coloca os jogadores na pele de pilotos de algumas das naves mais emblemáticas da franquia, e se passa após os acontecimentos de Return of the Jedi, onde podemos atuar tanto no New Republic Vanguard's Squadron como no Galactic Empire's Titan Squadron. São dois modos multiplayer e um single player, com a história se passando após a Batalha de Endor e a destruição da segunda Estrela da Morte, com a narrativa se alternando entre dois pilotos dos esquadrões; já os modos multiplayer são Dogfight (o popular team deathmatch, para 10 jogadores, e Fleet Battles, onde duas equipes de 5 integrantes cada devem destruir Capital Ships adversárias. Star Wars Squadrons chega também em março, mas sem data definida ainda. E, por fim, em abril, mais um jogo de esportes, NHL 21. A EA também confirmou o lançamento de It Takes Two para 26 de março, mas esse não vai entrar no catálogo tão cedo, só no PC que tem aquela assinatura Pro lá, que inclui lançamentos igual o Xbox Game Pass. Enfim, bons títulos e mais jogos para assinantes EA Play e Xbox Game Pass Ultimate.
(EA)

FREE PLAY DAYS - DIABLO III: REAPER OF SOULS E NICKELODEON KART RACERS 2: GRAND PRIX
XBL_Free-Play-Days_022521_1920x1080-Wire_2-shots_JPG.jpg

Até a madrugada de segunda-feira, 1º de março, às 4h59min da manhã no horário de Brasília, assinantes Xbox Game Pass Ultimate e Xbox Live Gold poderão jogar esses dois jogos sem custo adicional no Xbox One e Series X|S. Diablo III: Reaper of Souls Ultimate Edition (37,6 GB) é especial pra quem viu os anúncios de Diablo IV e Diablo II Resurrected na Blizzcon semana passada e se empolgou com uma das franquias mais amadas do gênero de ação e RPG e dungeon crawler e afins, Diablo III fez muito sucesso vendendo várias dezenas de milhões de cópias, e é um jogo perfeito pra se ter ali e explorar um mundo vasto e cheio de perigos e mistérios, montando sua classe preferida da maneira que quiser. Já Nickelodeon Kart Racers 2: Grand Prix (4,8 GB) é um jogo de kart nos moldes de Mario Kart ou aqueles do Sonic, mas com personagens da Nickelodeon como Bob Esponja, Patrick, Tartarugas Ninja, Os Anjinhos, Hey Arnold!, Rocko, Aang e Korra, CatDog, entre vários outros. Pra quem quer algo mais relax, ou até pra jogar com os filhos e a família, é uma boa pedida. Diablo III também tem modos cooperativos, mas é bem mais violento aí não pode para os baixinhos. Os jogos podem ser baixados pelo site (clicando nos nomes ali), na Microsoft Store do console ou no banner que estará na home nos próximos dias, e até o fim desse período, também estarão em promoção, caso alguém curta e queira continuar jogando depois, dá pra comprar pagando menos.
(Xbox Wire)

MICROSOFT REWARDS E XBOX GAME PASS QUESTS - ATUALIZAÇÃO SEMANAL
0d4b6e43-4705-4170-8d39-65b63dcc2244.png

A última semana de atividades do Microsoft Rewards e Xbox Game Pass Quests de fevereiro tem atividades bem simples e, pra quem não conseguiu fechar as solicitações para o prêmio de 1.000 pontos, provavelmente consegue nesta semana mesmo. Até começando hoje, sexta-feira, dá pra terminar até segunda-feira de boas. O segredo é a continuidade, estou com 71.424 pontos e contando, subindo mês a mês, o que dá aproximadamente R$ 208 - como não tem nada que quero comprar agora, vou guardando. Poucos minutinhos com algo que a gente já faz no dia a dia podem ser bem recompensadores. Ficou interessado pra saber mais sobre o Microsoft Rewards e Xbox Game Pass Quests, conferir todas as atividades disponíveis agora, temos um tópico completo com todas as informações aqui no PXB. As atividades abaixo devem ser completadas até segunda-feira, 1º de março, e no dia 2, começa tudo de novo.

Xbox Game Pass Quests
  • Titanfall 2 (50 pontos) - Ganhe 21 de Valor Líquido. Atividade exclusiva para assinantes Ultimate.
  • Dragon Quest XI (25 pontos) - Desperte seu poder.
  • Ganhe uma uma conquista no Xbox Game Pass (10 pontos) - Desbloquear uma conquista em um jogo do catálogo do Xbox Game Pass.
  • Conclua quatro solicitações diárias (5 pontos) – Fazer quatro daquelas solicitações diárias: jogar um jogo do Xbox Game Pass e fazer login no app do Xbox Game Pass.
  • Conquiste mais pontos (10 pontos) – Desbloquear três conquistas ou jogar três jogos diferentes do Xbox Game Pass.
Microsoft Rewards
  • Confira o jogo em destaque (10 pontos) - Só clicar no card de Little Nightmares II.
  • Inicializador de Aplicativos (40 pontos) - Abrir o app do Microsoft Rewards em três dias diferentes.
  • Caçador de Pontos (50 pontos) - Ganhar 200 pontos no Microsoft Rewards.

DEALS WITH GOLD COM SALDÃO ASSASSIN'S CREED E MAIS
bundle-assassins-creed.jpg

Até segunda-feira, assinantes Xbox Live Gold e Xbox Game Pass Ultimate podem aproveitar descontos especiais em mais de 100 jogos e conteúdos adicionais, incluindo um grande saldão da franquia Assassin's Creed, que está quase sempre em promoção na verdade de tanto que aparecem. Quem segurou a mão pode comprar todas as versões de Valhalla, por exemplo, com 40% de desconto, ou ainda revisitar jogos passados com descontos ainda maiores, como Odyssey, Origins, entre vários outros. Já quem não se importa com Assassin's Creed, ou até já tem, vale a pena conferir jogo a jogo, com títulos AAA e independentes a partir de R$ 3,00 (os independentes no caso, né). Pra conferir a lista completa, clique no link abaixo.
(PXB)

LANÇAMENTOS DESTA SEMANA (22 A 26/FEV)

LANÇAMENTOS DA PRÓXIMA SEMANA (1º A 5/MAR)
Quarta, 3
Quinta, 4
Sexta, 5
  • Asdivine Cross
  • Dreaming Sarah
  • Mail Mole
  • Risk System

LINKS RECOMENDADOS
  • An Elder Scrolls Analysis - Episode One: A New Type of RPG [vídeo] - Já que The Elder Scrolls é da Microsoft agora, vale bastante conhecer mais a fundo a franquia, o que a torna tão especial entre os RPGs. E, pra isso, segue um vídeo de duas horas contendo a primeira parte (lol) de uma retrospectiva sobre a franquia. | NeverKnowsBest
  • EA Play de PC será disponibilizado para assinantes Xbox Game Pass PC/Ultimate no final do ano - Inicialmente programado para o final do ano passado, e posteriormente adiado para o início de 2021, a adição da assinatura EA Play de PC como benefício aos assinantes do Xbox Game Pass de PC/Ultimate vai acontecer no final do ano. | Twitter EA Play
  • Games with Gold de março revelados, com Warface: Breatkout e Metal Slug 3 como destaques - Quando o Games with Gold é bom, vai lá pra cima nos destaques. Quando é mais ou menos, a gente cumpre tabela aqui. Enfim, os jogos são: Warface: Breakout, Vicious Attack Llama Apocalypse, Metal Slug 3 e Port Royale 3. | Xbox Wire
  • ‘Halo’ TV Series Moves From Showtime To Paramount+ - Agora vai? Programada para ir ao ar em 2020 e depois em 2021, o lançamento da série de Halo foi confirmado para o primeiro trimestre de 2022, exclusivamente no serviço Paramount+, que até está pra ser disponibilizado no Brasil, só não tem preço oficial ainda. Entre os nomes mais conhecidos, estão Steven Spielberg na produção executiva e Pablo Schreiber como Master Chief. O texto tem bem mais coisas sobre a série e as motivações de levar o serviço do Showtime para o Paramount+. | Deadline
  • How to Turn Movement into a Game Mechanic [vídeo] - A movimentação é um dos aspectos mais importantes do jogo, pois é um feedback direto da nossa interação com o mundo. Mas alguns jogos vão além e fazem da movimentação um pilar fundamental do gameplay, seja o parkour de Mirror's Edge ou o wingsuit em Just Cause. | Game Maker's Toolkit
  • Jogos pouco conhecidos que estão chegando ao Xbox - O tópico deu uma renascida das cinzas e voltou a ser bastante atualizado, com diversos jogos que parecem bem legais: Arkham Horror: Mother's Embrace, Dandy Ace, Fobia, Heavy Metal Machines, Hot Wheels Unleashed, Hypercharge Unboxed, Kill It With Fire, Little Witch in the Woods (Xbox Game Pass), Project GR (Xbox Game Pass), RetroMania Wrestling, Roots of Pacha, Taxi Chaos, Vapor World: Over the Mind (Xbox Game Pass). Vale tirar um tempinho pra ver os trailers. Obrigado a galera que mantém o tópico vivo também. | PXB
  • Legendas em português do Brasil disponíveis para Yakuza: Like a Dragon - Em um patch lançado esta semana, a SEGA disponibilizou, pela primeira vez, legendas em português para o nosso idioma em um jogo da série Yakuza. Like a Dragon tem ganhado bastante atenção, inclusive, por ser diferente da fórmula tradicional da série. Boa notícia pra popularizar ainda mais a série por aqui. | Xbox Power
  • Patch 1.2 de Cyberpunk 2077 vai atrasar - A CD Projekt RED informou que, devido ao ataque sofrido em seus sistemas (onde muitos dados foram roubados dos servidores da empresa) e ao tamanho da atualização, o Patch 1.2 vai atrasar, a ideia era lançar por agora mas, depois dos problemas, a janela que estão trabalhando é a segunda quinzena de março. Inclusive, segundo a Bloomberg, esse ataque foi tão grande e danoso que muitos desenvolvedores não estão conseguindo nem mesmo trabalhar de forma remota, já que não estão tendo acesso aos arquivos de trabalho. Complicado. | Twitter Cyberpunk
  • Techland Is Bleeding Talent Due To Autocratic Management, Bad Feedback, And Lack Of Direction - Com o adiamento de Dying Light 2, muita gente começou a se questionar sobre o estado atual do estúdio, e muito começou a se falar sobre práticas pouco recomendadas do estúdio polonês, resultando em um extenso relatório sobre problemas de gerenciamento, feedback e até uma falta de direção no desenvolvimento do jogo. | TheGamer
  • The Paradox of Authenticity in Video Games | Deception and Lies in Art and Play [vídeo] - Como diria Picasso, todos sabemos que a arte é uma mentira, mas uma mentira que nos ajuda a compreender a verdade. Sendo assim, o artista precisa conhecer os meios pra nos convencer da verdade envolta em suas mentiras. | The Game Overanalyser
  • Tony Hawk’s Pro Skater 1+2 is coming to Xbox Series X/S - A Activision confirmou a chegada do novo jogo do Toninho Falcão no Series X (120 fps - 1080p ou 4K - 60 fps) e Series S (1440p - 60 fps, com upscale pra 4K) no Series S, no dia 26 de março. Quem comprou a versão digital deluxe no Xbox One tem o upgrade gratuitamente; já quem optou a versão normal digital vai precisar pagar uma taxa de $10; por fim, quem pegou a versão física no Xbox One tomou um chute no saco porque não tem opção de upgrade, tem que comprar de novo no Series X|S se quiser jogar. | VentureBeat
  • Vampire: The Masquerade - Bloodlines 2 troca de estúdio e é adiado indefinidamente - Mais uma vítima dos atrasos, mas agora com um toque extra: além de adiar Vampire: The Masquerade - Bloodlines 2 indefinidamente, a atual desenvolvedora (Hardsuit Labs) não vai mais seguir trabalhando no jogo. Esse tipo de coisa, apesar de acontecer, é bem rara (trocar a desenvolvedora inteira), mas né, 2020 parte 2 não cansa de surpreender. | Twitter VTMB

.
.
.

Nem vou me alongar, obrigado aos que chegaram até aqui, se cuidem e bom final de semana.

tenor.gif
 
Última edição:

jackzsul EX

Guerreiro
Março 10, 2014
2,023
1,240
DA4 como serviço seria o fim da franquia. os gamers que conheço pessoalmente e virtualmente curtem multiplayer sim, mas tbm querem boas campanhas single players. Acho que é por isso que os exclusivos da Sony (os bons) vendem bem. A galera quer curtir uma história.
Alguns jogos como COD, onde o foco é o multi e acredito que esse público quer assim, não é um modelo a ser seguido e finalmente a EA parece estar acordando pra isso.

DA Inquisition já foi fraco, ao meu ver, mas melhor que o 2. Não gostei das motivações de certos personagens e teve toda aquele treta com o principal escritor.

Mas essa liberdade que ela falou que quer dar aos estúdios é apenas em um lado. Para que eles possam escolher o que fazer, mas eles não tem liberdade para fazer do jeito que querem e idealizaram. Já li isso de vários devs -- grandes e pequenos -- que saíram da EA. Esperemos os próximos jogos que vão trazer essa "nova visão" e teremos uma ideia mais clara se essas palavras são pra valer.
 

Saci

Heimdall dos Pampas
Moderador
Abril 11, 2007
16,485
29,582
Mas essa liberdade que ela falou que quer dar aos estúdios é apenas em um lado. Para que eles possam escolher o que fazer, mas eles não tem liberdade para fazer do jeito que querem e idealizaram. Já li isso de vários devs -- grandes e pequenos -- que saíram da EA. Esperemos os próximos jogos que vão trazer essa "nova visão" e teremos uma ideia mais clara se essas palavras são pra valer.
Eu creio que quando os caras definem uma política de trabalho, uma linha geral de objetivos de projeto, quando a gente fala de uma grande publisher de jogos, isso significa ficar nessa política por pelo menos uns 5 anos. À medida que os jogos feitos nessa política vão saindo, eles avaliam os resultados.
Nos últimos 3 anos a EA pôde avaliar o resultados dessa política. Ainda na geração do 360, teve uma situação com Mass Effect 3, por mais que falem da campanha, mas ele teve um componente multiplayer de sucesso estrondoso. Ali a EA pensou "esses RPGs podem dar muito dinheiro com microtransações, hein! Quero mais disso aí". Em Dragon Age Inquisition, tentaram implantar exatamente a MESMA fórmula, apenas com os personagens de DA. Mas não é o mesmo jogo. Não é um shooter em terceira pessoa. Falhou miseravelmente o multiplayer, enquanto a campanha até GOTY ganhou.

Com Jedi Fallen Order, eles vislumbraram que um single pode conseguir bons resultados financeiros (dane-se a crítica), resultados melhores do que tentar forçar um serviço onde não cabe. Quando o GaaS dá certo, realmente a grana é maravilhosa. Mas quando dá errado, é muito pior do que um single de sucesso.
Creio que a EA agora vai tentar uma abordagem mais mista, tentando achar uma forma de todos os jogos atingirem sucesso financeiro, seja por single player (menos dinheiro com o sucesso), seja tentando achar outra máquina de imprimir dinheiro como os FIFAs. Não por generosidade, mas sim porque ela constatou matematicamente ($) que se forçar serviço em TUDO ela fatalmente vai perder mais dinheiro do que se deixar alguns puro single player.
 
  • Curtir
Reações: ronabs
Microsoft 365

Sobre o PXB

  • Desde 2005 nossa comunidade se orgulha de oferecer discussões inteligentes e críticas sobre a plataforma Xbox. Estamos trabalhando todos os dias para garantir que nossa comunidade seja uma das melhores.

Sobre a Comunidade

  • As opiniões expressas neste neste site são da inteira responsabilidade dos autores. Microsoft, Xbox, Xbox Live, os logotipos do Xbox e/ou outros produtos da Microsoft mencionados neste site são marcas comerciais ou registradas da Microsoft Corporation.

Assinatura PXB Gold

+ Navegação sem publicidade

+ Upload de imagens nas postagens do fórum

+ Títulos de avatar personalizados.

 

Assinar com PayPal PagSeguro (cartão ou boleto)