Resumo 

Resumo da Semana Xbox #96 - 18 a 22 de maio

Oi, gente. Tudo certo com vocês? Pra quem tem Xbox, tudo segue na boa, na manha, com novidades dia sim, outro também, pra deixar a gente engajado com a marca e sempre querendo mais. Por exemplo: quem quer reviver um dos melhores exclusivos do Xbox 360 pode, porque Alan Wake foi adicionado no Xbox Game Pass, junto de alguns outros, como o retorno de Cities Skylines; o Xbox Game Pass sendo valorizado como um passo importante na transição de geração; a Mojang Studios se transformando e Minecraft ficando ainda mais importante; uma entrevista sobre com os desenvolvedores de The Ascent sobre como a Microsoft se aproximou deles, tornando o jogo exclusivo do Xbox no lançamento; um artigo legal sobre vazamentos, como eles acontecem e quais implicações eles geram em nós, público, e também nos desenvolvedores; uma outra entrevista, esta bem extensa, sobre Perfect Dark, jogo que faz 20 anos hoje e que pode ser que, talvez, assim, quem sabe, esteja retornando pelas mãos da The Initiative (rumor, gente); o [email protected] Game Fest, um pequeno festival para valorizar criadores independentes e suas criações; a atualização semanal do Xbox Game Pass Quests, vão até a manhã de terça-feira então quem porventura ainda não fez (ou não conhece), ainda dá tempo; os Deals with Gold com três ofertas diferentes e mais de 300 itens com desconto; os lançamentos desta e da próxima semana; e alguns links legais sobre Xbox e coisas afins.

Boa leitura.

.
.
.

XBOX GAME PASS RECEBE UM CLÁSSICO DO XBOX 360 E OUTRAS ADIÇÕES

Em uma cidade pacata do oeste americano, um escritor com problemas para exercer sua criatividade e atormentado por pesadelos chega para tentar se recuperar mentalmente, mas coisas dão errado, algo acontece, a sua mulher desaparece, e assim começa o plot de um dos melhores jogos exclusivos do Xbox 360. Alan Wake (console/PC) chegou ao Xbox Game Pass bem pertinho do seu aniversário de 10 anos, uma excelente oportunidade para quem jogou na época aproveitar novamente, e pra quem ainda não jogou, o momento perfeito pra conhecer esse universo criativo e cativante criado pela Remedy. Recomendadíssimo mesmo, encontrem um tempinho pra jogar - no PC, aparentemente, não tem suporte a conquistas. Falando sobre outras adições da semana, tivemos: Cities Skylines (console/PC), jogo que até estava no catálogo do serviço até um tempo atrás, saiu, mas agora retorna, para a alegria de quem gosta de construir cidades e também pra galera do tópico do jogo aqui no PXB; e Plebby Quest (PC), um jogo de estratégia com bastante toque de humor também. Ah, e ficamos sabendo que Drake Hollow (console/PC) será lançado no dia 17 de julho. Para a semana que vem, o grande destaque vai para Minecraft Dungeons (26, console/PC), novo jogo da Mojang Studios e que modifica um pouco aquilo que conhecemos de Minecraft, trazendo outro olhar sobre esse universo, agora no gênero dungeon crawler, aquele onde a parte mais legal é ir aumentando a dificuldade dos níveis para conseguir itens cada vez mais raros - e melhor ainda se for em modo cooperativo com os amigos. Por fim, como última chamada, estes são os jogos que deixarão o catálogo no dia 29 de maio, então, se algum deles te interessa, é melhor passar pra frente: #IDARB (console), Brothers: A Tale of Two Sons (console/PC), Hydro Thunder Hurricane (console/PC), King of Fitghters '98 Ultimate (console), Old Man's Journey (console/PC), Opus Magnum (PC) e Stealth Inc 2: A Game of Clones (PC). Pra ficar sempre por dentro dos jogos do catálogo do serviço, fique de olho nos tópicos oficiais do Xbox Game Pass/console e Xbox Game Pass/PC.

MICROSOFT ESTÁ MUITO À FRENTE PARA CRIAR O "NETFLIX DOS GAMES"

Serviços não são nem o futuro do entretenimento, são o presente. Deezer, Kindle Unlimited, Netflix, Prime Video, Spotify, e trazendo para os videogames, Xbox Game Pass, PlayStation Now, Stadia, Uplay+, EA Access. A Microsoft começou a traçar esse caminho em 1º de junho 2017 (louco pensar que o serviço não tem nem três anos completos, né?) e, nesse tempo, transformou-se em um dos principais diferenciais da marca Xbox no mercado, oferecendo um acesso amplo a centenas de jogos por um baixo valor mensal, conquistando mais de 10 milhões de assinantes pelo caminho e servindo como direcionador para uma transformação na divisão inteira, que tem no serviço seu carro-chefe para crescer não somente no mercado de consoles, mas também em PCs e, ali na frente, em dispositivos móveis também. Mas sucesso é algo relativo, a gente precisa ter alguma métrica pra comparação, pra poder dizer com certeza que algo vai bem ou não, e aí, entram os competidores, como a EA com seu EA/Origin Access (com 5 milhões de assinantes no Xbox One, PS4 e PC) e a PlayStation Now com 2.2 milhões. E, aí, percebemos o tamanho do que a Microsoft está fazendo e os resultados que já conseguiu alcançar, tendo menos tempo de vida que os dois principais concorrentes hoje. Quando vi esse texto, achei legal trazer porque pensei que iriam desenvolver mais os argumentos, mas eles ficam mais em como isso é positivo pra Microsoft, como ela está de olho em competidores futuros, como Amazon e Google, por serem gigantes da tecnologia que tem capacidade similar de utilização de servidores ao redor do mundo, que podem criar um serviço parecido e que alcance milhões de usuários também (o Stadia já existe e tal, mas ainda não é o modelo ideal). E aqui, eu chego no ponto principal que eu pensei que o site ia desenvolver mas não, então eu faço mesmo.

Modelo é a palavra-chave para o sucesso do Xbox Game Pass. Lá em 2013, uma das principais críticas da Microsoft com o Xbox One foi a maneira como ela apresentou um modelo de utilização do console que ia contra quase tudo o que a gente fazia naquela época, ela não abraçou o mercado como ele era no momento, e sim tentou fazer algo novo. Isso é importante, claro, sempre é preciso levar a tecnologia adiante, evoluir, mas algumas coisas precisam ser feitas com cuidado. E, analisando os números, os resultados e a presença de mídia, a gente percebe que o modelo do Xbox Game Pass parece ser o ideal para esse tipo de serviço hoje: oferecer um catálogo de jogos para download como forma padrão de consumo e tornar esse catálogo atrativo com adições constantes, mesmo que isso signifique remoções ao longo do tempo, pra criar um equilíbrio. No Xbox Game Pass, o download é a principal forma de consumo dos jogos, seja no Xbox One, seja no Windows 10 - comparemos com a PlayStation Now, que tem no streaming sua principal força e oferece o download de somente uma parte do catálogo (PS2 e PS4), em uma plataforma (PS4), e aí, temos um serviço que, em locais onde o streaming não decola, já chega pela metade. No Xbox Game Pass, temos remoções de jogos de forma constante, mas as adições também são, não somente de jogos com algum tempo de estrada mas de lançamentos - comparemos com o EA Access, que tem um catálogo fixo com quase nenhuma remoção, mas ao mesmo tempo, pouquíssimas adições, até no Origin Access que tem jogos de outras publishers, os jogos chegam de maneira mais lenta. A Microsoft propôs um modelo que o público abraçou com força, se sente confortável para consumir, garante presença de mídia constante para manter o serviço sempre em evidência, e vem investindo cada vez mais na qualidade do conteúdo, seja com a adição de jogos grandes e bem avaliados critica e comercialmente, seja adquirindo estúdios para ter cada vez mais jogos legais pra gente. Em 2013, a Microsoft pisou feio na bola ao ir de encontro ao que estávamos acostumados; em 2020, ela caminha ao encontro daquilo que já fazemos, o que é um grande trunfo para se ter ao iniciar uma nova geração.
(Business Insider)

MOJANG STUDIOS E MINECRAFT CONECTANDO MAIS PESSOAS DO QUE NUNCA

Em tempos difíceis como os que estamos vivendo, ter jogos que possibilitem nos conectarmos com outras pessoas ajuda a diminuir distâncias e encontrar um pouco de conforto, e Minecraft é um desses jogos. Tanto que a Mojang percebeu, logo que as coisas começaram a apertar, que a comunidade do jogo precisaria de novos conteúdos, tornando a versão Education Edition gratuita para que estudantes possam seguir aprendendo sem tanto comprometimento na qualidade do ensino, além de lançar a Minecraft Education Collection dentro do jogo, um marketplace gratuito até o final de junho, que já teve mais de 50 milhões de downloads de conteúdo educacional gratuito. Ainda fizeram uma parceria o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento em uma campanha de conscientização do distanciamento social, com um novo mapa na versão Java. Isso sem contar na expansão global de Minecraft Earth, a beta de ray tracing no Windows 10 e o lançamento de Minecraft Dungeons na semana que vem - os reviews de Minecraft Dungeons começaram a sair hoje, inclusive, e você pode encontrar um compilado deles em nosso tópico oficial do jogo, que também vai servir para comentarmos nossas experiências, combinar partidas, etc. Com mais de 200 milhões de cópias vendidas e 126 milhões de jogadores de Minecraft, a franquia mostra que ainda tem muito fôlego pela frente. E, pra celebrar um ano importante para a Mojang, eles anunciaram que tem um novo nome: Mojang Studios. Tá, não muda muita coisa tu vai dizer, mas isso representa melhor a estrutura atual da empresa, com estúdios em Estocolmo (sede) e Redmond (desde que foi comprada pela Microsoft), além de outras equipes em Londres/Inglaterra, Xangai/China e Tóquio/Japão, e também indica como a Mojang não cuida somente dos jogos de Minecraft, mas também de tudo o que envolve a marca como um todo, assim como acontece com a 343 Industries com Halo, por exemplo, que cuida dos jogos, livros, séries, etc. O vídeo de lançamento é bem bonitinho,e tem alguns easter eggs, como dois "new game.exe" ali. O que será que eles vão fazer no futuro?
(Xbox News)

"A MICROSOFT É MUITO ACESSÍVEL E O SERIES X É FÁCIL DE SE DESENVOLVER"

Apresentado com destaque no último Inside Xbox, The Ascent chamou a atenção pelo seu universo meio cyberpunk e jogabilidade bastante focada na ação, e o jogo ganhou até a capa da revista Edge (imagem acima), uma das revistas de games mais tradicionais do mundo. Ter a capa de uma publicação como esta certamente chama a atenção. Na entrevista que deram para a revista, os co-fundadores da Neon Giant, Tor Frick e Arcade Berg, valorizaram como a Microsoft é uma empresa mais próxima e a capacidade de entregar as ferramentas necessárias, duas coisas fundamentais para um estúdio independente: "a Microsoft é muito aberta e acessível. Tor e eu trabalhamos em sei lá quantas máquinas até agora, então, nós vimos diferentes gerações de consoles e as coisas melhorando. A Microsoft sabe o que é necessário para criar um jogo para suas máquinas, então eles estão preparados, as ferramentas estão lá", diz Arcade Berg. Além disso, eles também comentaram sobre como o Xbox Series X será um salto tecnológico em relação à geração atual: para Tor Brick, "o draw distance vai ir até onde a gente pode fazer ele ir, então, é mais sobre a claridade dos detalhes, porque temos modelos mais detalhados que podem ser vistos em resoluções menores. A melhor coisa é que está ficando cada vez mais fácil de desenvolver. Então, é mais fácil para realmente utilizar esse poder de fogo e investir mais tempo na parte criativa porque, idealmente, você quer que tudo funcione, conseguir realizar suas criações. Um estúdio independente de 11 pessoas não conseguiria fazer isso há 20 anos". Como foi divulgado pela IGN na semana passada, a Microsoft estava fazendo visitas por estúdios ao redor do mundo, chegou na Neon Giant e, apesar de estarem em um estágio bem inicial de desenvolvimento, conseguiram chamar a atenção da empresa, com Berg destacando que a Microsoft gostou muito da fidelidade visual, a destruição e como o core de gameplay estava sendo construído. O acordo foi feito e ambas as empresas começaram a trabalhar bem próximas, mesmo antes da papelada ficar pronta. Foi um dos jogos que mais me chamou a atenção, e é muito bom ver a Microsoft atenta a esse tipo de oportunidade.
(Wccftech)

COMO VAZAMENTOS ACONTECEM E COMO ISSO IMPACTA JOGADORES E ESTÚDIOS

Nós que acompanhamos videogame assim mais de perto gostamos de novidades, e elas acontecem muito rápido, algo que ontem era incrível talvez hoje já tenha sido esquecido, porque estamos olhando para um outro lado. Ainda mais em período "pré-ex-E3", às vésperas de conhecermos novidades sobre as marcas que curtimos. Nesse cenário, leaks, vazamentos, insiders, rumores, fakes, todas essas palavras começam a aparecer e a gente precisa prestar atenção pra saber o que é fato e o que não é. Mas vazamentos acontecem, e quando isso acontece, tem gente que fica feliz, tem gente que fica triste, sejam jogadores por descobrirem um novo jogo ou terem alguma surpresa estragada, sejam desenvolvedores e toda a roda que gira junto deles vendo suas campanhas milionárias de marketing desmoronando e tendo que ser modificadas. Algumas vezes, esse vazamento nem é feito na intenção de prejudicar alguém, mas sim um erro: por exemplo, a Blizzard contratou uma empresa para dar assistência na parte de storyboard de Starcraft II, só que não avisou que o jogo seria lançado em três partes, com o jogo base (Wings of Liberty), a expansão (Heart of the Swarm) e uma expansão standalone (Legacy of the Void); o estúdio contratado não sabia, foi divulgar seu trabalho (afinal, trabalharam com a Blizzard) e publicaram um material que não seria visto pelos jogadores pelos próximos três anos. Outras, é um erro operacional, como aquela listagem extensa do Walmart antes da E3 2018, que nos mostrou coisas como Rage 2, Gears of War 5, Assassin's Creed (que acabou sendo Odyssey), entre outros.

Isso acontece porque, ao contrário de outras indústrias do entretenimento, como o cinema, a indústria de videogames é bem mais fechada. No cinema, um estúdio vai lá e diz que vai lançar os filmes A, B, C, D e E nos próximos dois anos, que os filmes F, G e H custaram X e renderam Y. Nos videogames, não conheço nenhuma empresa que seja aberta dessa forma, tudo é envolto em muito segredo e contatos de NDA (aqueles onde tu assume o compromisso de não falar do assunto com ninguém), e os poucos números financeiros que são divulgados costumam ser cuidadosamente maquiados pra passar a melhor impressão possível, mesmo quando a coisa deu ruim. Com isso, muita gente começa a cavocar pra descobrir o que é que tanto escondem, e surgem comunidades como o /r/gamingleaksandrumors, um subreddit dedicado só a vazamentos com mais de 41 mil membros. Ou seja: vazamentos acontecem e vão continuar acontecendo, e cabe aos estúdios lidarem com isso. Para alguns dos entrevistados, que optarem pelo anonimato, isso abala, mas não afeta por tanto tempo assim, a não ser quando existe a desconfiança de algum vazamento interno, como uma discussão de uma reunião ir parar em um fórum. Mas tem também erros bobos, como alguém tirar uma foto no escritório e pegar uma imagem em um computador, ou alguém mexer em um PPT no trem (caso de Shadow of the Tomb Raider) e algum espertinho pegar. Mas isso também pode ser favorável para os estúdios, como diz Tim Willits, que hoje é COO da Saber Interactive: para ele, o fato de ter um público tão apaixonado a ponto de correr atrás de informações é uma forma de motivação, do quanto o trabalho deles é querido. Esses foram os pontos principais do texto, quem quiser ler em mais detalhes, com outros exemplos.
(IGN)

PERFECT DARK COMPLETA 20 ANOS

Quando a Rare decidiu deixar a franquia 007 de lado porque os royalties que tinha que pagar ao autor eram muito caros, depois de lançar o clássico Goldeneye, era preciso seguir adiante com os ensinamentos que esse jogo trouxe para a época, um dos primeiros a mostrar que jogos em primeira pessoa poderiam encontrar seu espaço nos consoles. Assim, surgia Perfect Dark, lançado em 22 de maio de 2000 para o Nintendo 64 e hoje envolvido em diversos rumores de que a franquia será revivida pela The Initiative. Mas o que torna esse jogo e essa franquia tão especiais, e como ela consegue ainda gerar comoção e pedidos de retorno mesmo há quinze anos de seu último título? Foi pensando em ir atrás dessas respostas que a Eurogamer fez uma extensa entrevista com desenvolvedores, produtores, gente envolvida nesse que é o jogo mais bem avaliado da história da Rare, tendo um invejável e poucas vezes conquistado 97 no Metacritic. Não vou entrar em detalhes porque é uma entrevista muito extensa, mas fica a dica pra quem curte a franquia, quer conhecer (eu nunca joguei) ou acredita que Perfect Dark pode estar voltando e quer conhecer mais sobre esse universo.
(Eurogamer)

[email protected] GAME FEST VALORIZA JOGOS INDEPENDENTES

Até o dia 25 de maio, o [email protected] Game Fest é um evento especial que vai valorizar criadores, histórias, personagens, novas formas de jogar. Todo mundo sabe o papel que o [email protected] representa para o Xbox, a aproximação que isso gerou com estúdios independentes, o monte de jogos que já conseguiu trazer para o Xbox, e nada melhor do que ouvir as pessoas que fazem esses jogos. Por isso, nesse episódio, a galera conversou com a menina que fez Fractured Minds, que entrou no Xbox Game Pass esta semana e consegue abordar, de forma bastante competente, as angústias de doenças como ansiedade; o estúdio que fez HyperDot, um jogo onde não precisamos derrotar os inimigos, mas desviarmos deles, invertendo o loop de gameplay padrão que a gente conhece - outro jogo que está no Xbox Game Pass; Celeste, um dos grandes destaques de 2018 e que foi dado na Live Gold em janeiro do ano passado, outro jogo que também aborda temas delicados de forma bem integrada com o gameplay e a história; Night in the Woods, um jogo sobre abandonar a faculdade e voltar para uma cidade diferente que não é mais a mesma de quando saímos, uma situação que talvez muita gente já tenha passado; Hellblade: Senua's Sacrifice, esse dispensa apresentações, é da Ninja Theory e está no Xbox Game Pass; In Between, abordando como alguém vive com a notícia de que está com câncer; Stone, pra dar uma quebrada no tom mais sério, trazendo um jogo mais simples e descompromissado; What Remains of Edith Finch, um grande walking simulator, recomendo bastante esse jogo pra todos. No link abaixo, tem a versão em texto com todos eles, e aqui, em vídeo, alguns deles em mais detalhes.
(Xbox News)

MICROSOFT REWARDS E XBOX GAME PASS QUESTS - UPDATE SEMANAL

Na semana retrasada, eu comentei que passaria a fazer os updates semanais das quests do Microsoft Rewards e do Xbox Game Pass lá na parte dos links da semana, mas acho que não ficou legal, não tem tanto destaque e pode ser que alguém passe batido, não veja, enfim. Além disso, como lá os assuntos são comentados de forma mais curta, não tinha como explicar exatamente o que tem que fazer, até quando vale e tal, tinha só um "dá uma olhada lá no tópico disso" (e você pode continuar lendo o tópico, porque sempre tenho mantido ele atualizado). Mas vou voltar a trazer aqui também, pra explicar melhor o que tem que fazer, até quando vale, etc. Como o resumo é publicado na sexta-feira, em casos atípicos no sábado, e algumas quests tem algum requerimento do tipo executar ações em dias consecutivos, é quase como a última chamada daí. Enfim, essas são as quests disponíveis até a terça-feira, 26 de maio - as quests atualizam durante o fim da manhã e início da tarde, então, é melhor terminar elas até segunda-feira. Lembrando que as quests do Xbox Game Pass só podem ser feitas por quem é assinante do serviço, já as do Microsoft Rewards estão disponíveis para todos no aplicativo do Rewards no Xbox One.

Xbox Game Pass Quests
  • Dishonored 2 (50 pontos) - Adquira 50 moedas no jogo, essa é exclusiva para assinantes Xbox Game Pass Ultimate.
  • Zoo Tycoon: Ultimate Animal Collection (50 pontos) - Limpe 15 cocozinhos de animais.
  • Ganhe uma conquista no Game Pass (10 pontos) - Babinha também, só pipocar uma conquista em um jogo do catálogo
  • Conquiste mais pontos (10 pontos) – Desbloquear três conquistas ou jogar três jogos diferentes do Xbox Game Pass, moleza.
  • Conclua quatro solicitações diárias (10 pontos) – Autoexplicativo, fazer quatro daquelas solicitações diárias: jogar um jogo do Xbox Game Pass e logar no app do Xbox Game Pass.
Microsoft Rewards
  • Conferir um streaming no Mixer (10 pontos) - Só clicar no card e já está valendo.
  • Inicializador de aplicativos (40 pontos) - Abrir o aplicativo do Microsoft Rewards no Xbox em três dias diferentes.
  • Caçador de pontos (50 pontos) - Ganhar 200 pontos em atividades do Microsoft Rewards, como aquela de desbloquear uma conquista por dia que oferece 50 pontos, ou os cartões, ou presente surpresa, etc.
Além dessas aí, surgiu uma também que vale 1000 pontos, para o FIFA 20, só ativar o cartão dentro do app, jogar FIFA 20 durante o Team of the Seasons so Far e desbloquear uma conquista no jogo. Temos um tópico especial do Xbox Game Pass Quests (e do Microsoft Rewards junto), só clicar aqui.

DEALS WITH GOLD COM OFERTAS FOCUS HOME, [email protected] GAME FEST E SUPER SAVER

Assinantes Xbox Live Gold e Xbox Game Pass Ultimate tem 311 motivos pra acessar esse tópico do @Shivan e conferir os jogos do Games with Gold desta semana. Isso porque temos três sales rolando, três ofertas temáticas de jogos: do [email protected], em jogos como Celeste, Firewatch e Kentucky Route Zero (esse eu quero, mas vou esperar um pouco mais); da Super Saver Sale, com A Way Out, Shadow of War e The Division; e da Focus, como A Plague Tale: Innocence, Greedfall e SnowRunner. Esses são só alguns exemplos, vale mesmo dar uma olhada com calma pra ver se nada interessa. Lembrando que, caso vocês comprem usando os links do PXB, uma parte da grana volta pro fórum. Caso você precise de uma ajudinha com o que comprar, tem esses dois vídeos do @rafaelgrn no Conquistaria, com foco especial em jogos bons para gamerscore - vídeo 1, vídeo 2.

LANÇAMENTOS DESTA SEMANA (18 A 22 DE MAIO)
LANÇAMENTOS DA PRÓXIMA SEMANA (25 A 29 DE MAIO)
Terça, 26
Quarta, 27
  • Castle Pals (Brad Erkkila/Ratalaika Games)- Sem preço na Store
  • Many Faces (Eastasiasoft Limited/WANZUNGDEV) - Sem preço na Store
  • Those Who Remain (Camel 101/Wired Productions) - R$ 74,95 (Xbox One X Enhanced)
Quinta, 28
Sexta, 29

LINKS DA SEMANA
  • Celebrando 30 anos de Microsoft Solitaire (Paciência) - É quase certo que você já jogou Paciência na vida. Hoje, são mais de 35 milhões de jogadores todo mês (eu jogo de vez em quando no celular, tem jogo com conquistas e tudo), e pra celebrar os 30 anos, eles querem quebrar o recorde de mais partidas jogadas em um único dia, então, se você tiver ou baixar aí, pode participar. Curiosidade: o Brasil é o terceiro país mais popular do jogo, atrás apenas de Estados Unidos e Japão. | Xbox News
  • Conheça Ghostrunner (Janela Indie) - Ghostrunner chamou a atenção pelo seu ambiente cyberpunk e combate frenético com uma katana, não sabia antes de jogar a demo do Steam, mas também é daqueles jogos one hit hill, foi atingido, já era, tipo Hotline Miami. E isso é demais, deixa o jogo ainda mais legal, porque o planejamento precisa ser criterioso e bem executado. | YouTube Nautilus
  • Demo de Grounded estará disponível em junho através do Xbox Insider - Quem quiser descobrir mais cedo os mistérios de Grounded vai poder jogar a partir de junho, entre os dias 9 e 14. Para isso, basta ser um usuário Xbox Insider e ativar a solicitação dentro do aplicativo. Aí, é só esperar ser um dos aprovados e testar. | Xbox Power
  • Gamescom Opening Night Live acontece em 27 de agosto - O evento físico já era, mas o evento digital vai vir com tudo, e na noite do dia 27, se inicia a Gamescom Opening Night Live, uma conferência de abertura apresentada por Geoff Keighley e que dá o pontapé inicial a três dias de uma série de transmissões com novidades do mundo dos videogames. Será o último evento do Summer Game Fest. | Twitter Geoff Keighley
  • How do Stealth Games Deal with Detection? - Em mais um vídeo da série School of Stealth, Mark Brown analisa como os jogos do gênero lidam com a sua principal mecânica: a detecção do personagem. Esses jogos são feitos para nós, jogadores, passarmos batidos, despercebidos pelo ambiente, mas nem sempre isso dá certo, como quando jogamos um jogo de forma sorrateira, tá quase dando tudo certo mas, no último momento, vai tudo pro saco e o negócio é ir na bala mesmo. Então, o que os game designers devem fazer quando somos detectados? Como sempre, ótimo vídeo. | YouTube Game Maker's Toolkit
  • Prey is the Bioshock We Missed This Gen - Prey foi lançado, não teve tanta atenção, mas pouco a pouco, foi ganhando seu espaço naquelas listas de jogos subestimados da geração, sendo recomendado em promoções. Esse vídeo não vi, vou salvar pra ver depois de jogar, mas confio no Shinobi. | YouTube Escapist
  • Wasteland 3 Dev Diary #1 - Character Creation, Customization & Combat - Como um bom RPG, Wasteland 3 vai dar bastante atenção para a criação de personagens, e neste vídeo, o estúdio se debruça sobre alguns desses detalhe, como escolher um perk em alguma habilidade mas que tem potencial de ser danoso em outras áreas, criando um pouco de estratégia até na hora de construir um personagem. | YouTube Deep Silver
  • We're Not Kidding - Saints Row The Third Remastered Is An Exceptional Effort - Impressionar a Digital Foundry, conhecida por ser bem criteriosa nos aspectos técnicos de videogames, é difícil. Mas Saints Row conseguiu isso com sua versão remasterizada de The Third, trazendo upgrades visuais radicais e corrigindo pequenos problemas técnicos da geração anterior, nesse que, segundo eles, consegue ser um dos melhores remasters já feitos. | YouTube Digital Foundry
  • Why Mario's Triple Jump Animation Is So Good - Mario é sinônimo de videogame, independente de Microsoft, Nintendo ou outras empresas. Seu legado é inegável e muita gente que hoje cria jogos, ou simplesmente gosta deles, começou a curtir videogame por causa desse bigodudo. Os ensinamentos são vários, e neste vídeo, o foco é no pulo triplo de Super Mario 64 e o motivo dele ser tão bem feito até hoje. | YouTube New Frame Plus

.
.
.

Buenas, por hoje é isso. Agora, é hora de desligar um pouco do mundo, descansar, jogar uns games pra avançar no backlog, e limpar um pouco as coisas pra poder jogar Minecraft Dungeons no lançamento dia 26 sem peso na consciência. Tenham um excelente final de semana, cuidem-se e até semana que vem.

 

Edu Barros

Viciado
PXB Gold
5,716
7,603
Ribeirão Preto
Eu: "Essa semana até que foi bem parada".

@ronabs:
TOMA AÍ UM RESUMO DA SEMANA COM 4.732 PALAVRAS!!!

ezgif-2-947850ddaa17.gif

  • How do Stealth Games Deal with Detection? - Em mais um vídeo da série School of Stealth, Mark Brown analisa como os jogos do gênero lidam com a sua principal mecânica: a detecção do personagem. Esses jogos são feitos para nós, jogadores, passarmos batidos, despercebidos pelo ambiente, mas nem sempre isso dá certo, como quando jogamos um jogo de forma sorrateira, tá quase dando tudo certo mas, no último momento, vai tudo pro saco e o negócio é ir na bala mesmo. Então, o que os game designers devem fazer quando somos detectados? Como sempre, ótimo vídeo. | YouTube Game Maker's Toolkit
Mais uma vez, meu voto pro conteúdo da semana vai pra um vídeo do Game Maker's Toolkit. Muito bom!
 

OLD-MAN

Viciado
1,850
3,290
Rio de Janeiro
Parabéns @ronabs muito bom ,só para avisar DLC Máfia III está grátis.

 
  • Curtir
Reações: ronabs e Edu Barros