Shawn Layden justifica a ausência da Sony na E3: "O mundo mudou, e a E3 não"

#1


O executivo Shawn Layden, presidente da Sony Interactive Entertainment, comentou em entrevista o fato da empresa não participar da E3 2019 e disse que “o mundo mudou, mas a E3 não mudou com ele”.

Anunciada em novembro de 2018, a ausência da Sony e de PlayStation do maior evento de games do calendário gerou muitas críticas. Até então, a explicação da empresa girava em torno de encontrar “oportunidades criativas de se engajar com a comunidade” e planos para “pensar diferente e experimentar”.

Em entrevista ao site CNET, Layden comentou que a natureza da E3 foi construída em torno de padrões que não se aplicam mais, tanto para varejistas, quanto para jornalistas.

Na sua concepção, o evento era um local para varejistas planejares seus estoques e para jornalistas planejarem as capas de suas revistas. Na era moderna, diz Layden, ambas as situações mudaram.

“Temos um evento em fevereiro chamado Destination PlayStation onde iremos reunir todos os varejistas e parceiros para ouvirem nossos planos para o ano. Eles irão discutir planos de compras em fevereiro”, afirmou o executivo na entrevista.

"Hoje em dia, junho [mês da E3] já é tarde demais para debater o Natal com varejistas. Por isso, o setor de vendas perdeu o interesse na E3. E para os jornalistas, com a internet e notícias de jogos 24 horas por dia, o evento também perdeu impacto”, disse Layden."

“Por isso, o evento de negócios se tornou um evento sem muitos negócios sendo feitos. O mundo mudou, mas a E3 não mudou necessariamente com ele”, completou Layden.



Além de todas essas questões de mercado, a Sony está planejando fazer jogos maiores, mas em menor quantidade, o que significa que junho não é mais um bom período do ano para detalhar seus planos mais recentes.

“Pra gente, se tocarmos um sino e as pessoas forem forçadas a aparecer por lá, elas criam uma expectativa de ‘ah, eles vão dizer algo pra gente’”.

Essa ideia de gerar expectativas reflete a lógica de Layden para não realizar a PlayStation Experience (PSX) em 2018, o que foi anunciado antes da Sony também deixar a E3.

Ainda não se sabe quando a Sony dará mais detalhes sobre seus planos para o futuro ou de que maneiro isto será feito.

Por outro lado, a Microsoft parece estar faminta para preencher o vazio deixado por sua maior concorrente. O chefe de Xbox, Phil Spencer, disse que a empresa terá “grande participação” na E3 2019.
 
#2
Essa intenção de focar em jogos maiores em pouca quantidade é mais relevante que a saída da E3.

Mais um motivo pra eu esperar bastante pra pegar um PS5, já que a escassez de jogos no início promete ser grande.
 

Saci

Heimdall dos Pampas
Moderador
#3
Na visão do Layden, a E3 é pra todo mundo, menos pro fã da marca.
Eu esperava pelo menos uma declaração do tipo "estamos estudando uma forma de fazer um evento alternativo, em outro momento do ano, etc".
Pode ser que eles estejam querendo baixar as expectativas para 2019, pra de repente voltar com alguma coisa mais pra frente. Mas por enquanto não querem se comprometer.

Não acho que trará muito dano ao negócio deles no curto prazo. A preocupação maior deles no momento é ter um acerto grande na entrada da próxima geração, já que dessa vez não vai dar pra contar com a sorte do concorrente fazer alguma grande cagada.
Por isso entendo que eles guardem as fichas por enquanto. Sabem que não é o fim do mundo, e que uma apresentação fraca causa mais dano que fugir do show.
 

Pegazuswarri0R

VINGADOR MALIGRINO
PXB Gold
#5
são declarações como essas que me afastam cada vez mais da Marca $ONY... Peguei um TV 4K e tive a oportunidade de pegar um pró a preço de banana (comprado ao valor de venda) no mesmo local e em nenhum momento meus olhos brilharam. Nem GOW nem Spider valem a maneira que ele tratam o cliente! Não que a M$ seja a melhor do mundo, mas as porradas de 2013/14 fizeram uma empresa mais 'humana' e 'próxima' aos anseios dos clientes/comunidade!
 
#6
são declarações como essas que me afastam cada vez mais da Marca $ONY... Peguei um TV 4K e tive a oportunidade de pegar um pró a preço de banana (comprado ao valor de venda) no mesmo local e em nenhum momento meus olhos brilharam. Nem GOW nem Spider valem a maneira que ele tratam o cliente! Não que a M$ seja a melhor do mundo, mas as porradas de 2013/14 fizeram uma empresa mais 'humana' e 'próxima' aos anseios dos clientes/comunidade!
Dá uma olhada nas configurações da sua TV. Ainda não vi nessa geração jogo mais bonito que GoW rodando em um Pro e em 4k com HDR. Nem mesmo no PC.
 
#7
Esse cara pode até ser um bom executivo, mas como relações públicas...
Mas ele foi honesto não? Acho que isso vale mais que um monte de abobrinha de PR.

Pra nós que estamos vendo um show que é uma copa do mundo gamer anual tem lá sua graça e importância, mas é fácil entender porque pra Sony e outras a E3 está cada vez menos interessante.

Continuo achando que a declaração de lançar menos jogos grandes é bem mais relevante.
 
#8
Mas ele foi honesto não? Acho que isso vale mais que um monte de abobrinha de PR.

Pra nós que estamos vendo um show que é uma copa do mundo gamer anual tem lá sua graça e importância, mas é fácil entender porque pra Sony e outras a E3 está cada vez menos interessante.

Continuo achando que a declaração de lançar menos jogos grandes é bem mais relevante.
É, tem dados por aí mostrando que a E3 tem picos altíssimos de audiência e engajamento dos fãs, então pra mim ele apenas adequou o discurso à situação de momento, que é o de ter pouca coisa concreta pra mostrar agora, já preparando o palco para o lançamento do 'ps5'.

Com relação a lançar menos jogos grandes, vai mais na linha do que algumas publishers terceiras já vem fazendo.
 
#9
Bom, acho que agora os motivos da Sony sair da E3 estão claros: eles não têm mais jogos para mostrar, seja PS4 ou early-PS5.

Mas acho compreensível, estamos no final da geração e ainda assim tem pelo menos 4 jogos para serem lançados.

E não vi nada de "danoso" no discurso dele, quem diz que isso aí é motivo para não consumir a marca tá inventando abobrinha pra si mesmo.
 
#10
Mas acho compreensível, estamos no final da geração e ainda assim tem pelo menos 4 jogos para serem lançados.
São sete first party: Concrete Genie, Days Gone, Death Stranding, Dreams, Ghost of Tsushima, Medievil e The Last of Us 2. Além de uns perdidos de empresas third e uma penca de first party VR, mas esses tem um público bem mais restrito.
 
#11
Tem muito fato aí na retórica dele que fica difícil retrucar, a não ser que você você assuma que é tudo ladainha.

Que o PS4 já ganhou a geração de braçada e tem uma vantagem numérica irreversível é fato.

Que a E3 vem perdendo relevância como evento de negócio e se tornando mais um showcase é fato.

Que o YouTube é outras maneiras de divulgação de conteúdo tem um efeito muito próximo ao de um evento e com um custo muito menor é fato.

Que a Sony lançou alguns dos melhores exclusivos nos últimos anos é fato.

Agora só o tempo dirá o que está por trás dessa retórica protegida por fatos. Acredito que internamente a Sony já shiftou sua força para o PS5 e está se preparando para a próxima geração poupando munição.
 

SouzaRJ

Acho que to ficando velho
PXB Gold
#12
Ainda não consigo entender como é que os caras ne viram as costas para o maior evento de games do planeta.

Pode fazer quantas outras apresentações eles queserem, não terão 1/3 da repercussão que teriam se fosse dentro da E3.

Mas deve ser isso que o Victal comentou, com o PS4 vencendo a geração numericamente falando, tão guardando munição para o PS5.

Próxima geração eu não duvido nada que todo meio de ano eles vão estar lá todos pimposos.
 

Pegazuswarri0R

VINGADOR MALIGRINO
PXB Gold
#13
Sem querer acusar dano, mas entendo o direcionamento de sua resposta, a maneira como a empresa trata seus clientes me incomoda e muito. E sim, para mim, isso é motivo para não consumir a marca, tanto que já me desfiz do ps4 pró e preferir manter meu foco, no pouco tempo que tenho disponível, para jogar somente no X mesmo!

E não é somente esse discurso de agora:
- Jogos da PLUS
- Preços em jogos (embora algumas promoções são realmente muito boas)
- 'quem quer jogar jogo velho?' - Essa daí foi o pior para mim.
- REMASTER!

Mas cada um sabe o que faz com seu $$ e com sua vida que é grasta para adquirir os produtos e para gatar jogando-os!

Bom, acho que agora os motivos da Sony sair da E3 estão claros: eles não têm mais jogos para mostrar, seja PS4 ou early-PS5.

Mas acho compreensível, estamos no final da geração e ainda assim tem pelo menos 4 jogos para serem lançados.

E não vi nada de "danoso" no discurso dele, quem diz que isso aí é motivo para não consumir a marca tá inventando abobrinha pra si mesmo.
Achei bonito sim, não tem como negar. Mas preferi fazer um $$$ já que peguei o pró barato.
Dá uma olhada nas configurações da sua TV. Ainda não vi nessa geração jogo mais bonito que GoW rodando em um Pro e em 4k com HDR. Nem mesmo no PC.
 

Saci

Heimdall dos Pampas
Moderador
#14
Ainda não consigo entender como é que os caras ne viram as costas para o maior evento de games do planeta.

Pode fazer quantas outras apresentações eles queserem, não terão 1/3 da repercussão que teriam se fosse dentro da E3.

Mas deve ser isso que o Victal comentou, com o PS4 vencendo a geração numericamente falando, tão guardando munição para o PS5.

Próxima geração eu não duvido nada que todo meio de ano eles vão estar lá todos pimposos.
Veja, não é como se eles tivessem material pra fazer uma apresentação bacana e mesmo assim eles não vão fazer "porque sim". Quando eu disse segurar as fichas, no post acima, não quis dizer sobre esconder anúncios, foi mais no sentido de não se expor. Olha o post do Ronabs, tem coisa pra sair, e não é pouca. Mas já tá anunciado. Agora tem que esperar fazer mais.
Imagine eles fazendo uma apresentação com artes conceituais e dizendo que se tudo der certo, esses jogos um dia vão sair. Daí diz que o jogo é uma coisa, 8 meses depois a equipe altera drasticamente o jogo porque não estava legal e começa o burburinho. É cagada.

Esses jogos que estão pra sair, na medida que chega perto do lançamento, terão suas coberturas normais. Então eles terão a sua propaganda, a marca vai estar em evidência ao longo do ano nesses momentos. O que não vai ter é o "momento carnaval" ou "copa do mundo", ou "natal". Quando a empresa guarda revelações de peso pra mexer com o hype. É uma pena, mas a verdade é que eles estão num momento que o dano será mínimo, passar por isso logo após um ano como foi 2018 pra Sony é o melhor cenário.

A E3 de 2018 foi o termômetro da Sony pra saber se valia a pena "ir por ir". E o Layden e cia. não gostaram repercussão, essa é que a verdade.

Um post do ZhugeEx no resetera falava de uma apresentação de investidores na Sony, não ficou claro pra mim se era início de 2018 ou se foi ainda em 2017, mas internamente a Sony se disse muita tranquila na posição do Playstation, não em virtude da venda de hardware, mas porque em termos de produção de conteúdo eles tinham um arsenal de estúdios muito maior do que os concorrentes, o que lhes dava segurança que se manteriam líderes na produção de conteúdo. Daí imagine que meses depois seu concorrente começa a comprar estúdios e demonstrar poder de investimento. Opa, hora de sair da zona de conforto e planejar bem o que vai ser feito nos próximos 3 anos, inclusive algum recuo estratégico pra se fortalecer internamente e deixar um lançamento de next-gen mais recheado de novidades. Se não de jogos, pelo menos de anúncios de jogos.
 

Saci

Heimdall dos Pampas
Moderador
#16
E para os jornalistas, com a internet e notícias de jogos 24 horas por dia, o evento também perdeu impacto”
Na verdade não foi o evento que perdeu o impacto. Fazer uma apresentação como a de 2018 é que não tem impacto. Acho que a narrativa dele é pra colocar na conta da própria E3 o fato da Sony ter feito uma apresentação muito abaixo do padrão apresentado pelo Playstation nos últimos anos. Ninguém bate palma "porque é a E3", bate palma porque gostou do que viu.
Se pra Sony a E3 era um balcão de negócios, porque não fazer um evento particular pra articular isso, mas mantém a E3 pros fãs?
Na visão do Layden, a E3 é pra todo mundo, menos pro fã da marca.
 
#17
Nem quero entrar no mérito da questão do por quê a Sony não vai na E3 este ano, pra quem acompanha esse evento viu como foram as participações delas nos últimos anos.

A verdade é que a marca S está beeeeem confortável nessa geração e uma E3 como a do ano passado (principalmente) pode gerar um desgaste desnecessário a marca. Pra que arriscar? Lança uma declaração pra controle de danos e ano que vem, se tiver o que mostrar mude o discurso dizendo que ouviu os fãs, que está sempre perto dos consumidores etc...
 
#18
Na verdade não foi o evento que perdeu o impacto. Fazer uma apresentação como a de 2018 é que não tem impacto. Acho que a narrativa dele é pra colocar na conta da própria E3 o fato da Sony ter feito uma apresentação muito abaixo do padrão apresentado pelo Playstation nos últimos anos. Ninguém bate palma "porque é a E3", bate palma porque gostou do que viu.
Nessa entrevista que o Shaw deu pra CNET ele falou mais ou menos isso: "não tem mais o que anunciar"
Então eu também acredito que ele jogou a culpa no evento mesmo, sendo que não é bem isso.

Acho que o final da geração do PlayStation ta traçado, e talvez eles queiram fazer essa economia com eventos. Infelizmente né, porque E3 é uma experiência foda até pra gente que assiste de longe.

Bom, o que temos?
7 exclusivos para 2019/20, sendo 2 AA e 5 AAA, só 1 com data;
Nenhum evento a vista;
Muitas duvidas.
 
#19
A verdade é que a marca S está beeeeem confortável nessa geração e uma E3 como a do ano passado (principalmente) pode gerar um desgaste desnecessário a marca. Pra que arriscar? Lança uma declaração pra controle de danos e ano que vem, se tiver o que mostrar mude o discurso dizendo que ouviu os fãs, que está sempre perto dos consumidores etc...
Também penso assim.

Mas eu ainda acho que algum evento surpresa vai rolar esse ano.
Ou pelo menos espero.
 
#20
Um post do ZhugeEx no resetera falava de uma apresentação de investidores na Sony, não ficou claro pra mim se era início de 2018 ou se foi ainda em 2017, mas internamente a Sony se disse muita tranquila na posição do Playstation, não em virtude da venda de hardware, mas porque em termos de produção de conteúdo eles tinham um arsenal de estúdios muito maior do que os concorrentes, o que lhes dava segurança que se manteriam líderes na produção de conteúdo. Daí imagine que meses depois seu concorrente começa a comprar estúdios e demonstrar poder de investimento. Opa, hora de sair da zona de conforto e planejar bem o que vai ser feito nos próximos 3 anos, inclusive algum recuo estratégico pra se fortalecer internamente e deixar um lançamento de next-gen mais recheado de novidades. Se não de jogos, pelo menos de anúncios de jogos.
Isso é tão verdade que fazia tempo que a Sony não dava declarações públicas em relação à expansão da sua rede de estúdios. A Guerrilla é um estúdio que está em franca expansão e pretende dobrar seu tamanho na época do lançamento de Horizon Zero Dawn e chegar em 400 pessoas no futuro, tem uma ou outra movimentação como aquele novo lá de San Diego que ninguém sabe o que tá fazendo ainda, mas coisas tipo isso aqui, que estão de olho no mercado e analisando oportunidades, fazia um tempo bem grande mesmo. E eles tem essa mentalidade first/best/must ainda pra preencher.

How do you decide what game makers you'll buy?
We're always exploring opportunities. If we found a partner or a team or a game that we felt was particularly meaningful and interesting in a service area, we will look to bring that in. We're always open to that kind of experience.

We try to make it really easy for our teams to focus on what our vision is for the future. And we have simplified it to "first, best or must."

If your title is going to be "first" and creating a genre, or "first" and creating a new game activity, let's look at that. If you're going to make an action adventure game, It better be "best" in class. And we have the third category called "must," which is we must support the platform, we must be present when new technology comes out.
 

Topo