Antes de ser um deus, ele foi um homem... Análise de God of War: Ascension [Single Player]

Scarfella

Jogador
7,639
1,288


Comecei com essa frase da contra-capa, que basicamente resume um pouco do que se trata tudo no jogo: Enredo, jogabilidade, acontecimentos e etc.

Enredo: - Sem spoilers

Cronologicamente, o game é o primeiro da série, antes mesmo do Chains of Olympus do PSP. O jogo conta a história, de 3 meses após o incidente que levou Kratos a matar sua família. Após o ocorrido, Kratos quer encerrar pacto de sangue, que fez em um momento de desespero com Ares, o até então deus da Guerra, onde ele vendeu sua alma a Ares, desde que ele lhe desse forças para vencer seus inimigos. Porém, esse tipo de pacto não se desfaz, e qualquer traidor do pacto com os deuses, é caçado pelas três irmãs Fúrias, e aprisionado para viver uma vida de tortura e sofrimento. O game começa com kratos já preso, e ao longo do jogo, você vai descobrindo cada passo do que aconteceu nas últimas duas semanas, portanto, o jogo se passará em dois momentos, o atual, e a duas semanas atrás.

Sabendo disso, vamos a um ponto interessante aqui: Kratos não é aquele maluco psicopata e frio, sedento por sangue e vingança, e disposto a matar qualquer culpado ou inocente que cruze seu caminho para se beneficiar, como vimos em todos os outros jogos da série. Ele é um homem sentimental, muito triste, e com muito peso na consciência, por ter feito o que fez, porém, quem já jogou os demais jogos, sabe que nem tudo é o que parece, e ele simplesmente não lembra de tudo o que aconteceu, e o que o fez matar sua família. Nisso, ele sai em busca de respostas, e um enredo cheio de momentos épicos, violência e reviravoltas, vai acontecer em seu caminho em busca da verdade. chega até a ser cômico, vendo ele em um certo momento, em que alguém lhe oferece ajuda, ele pergunta "mas e você, vai ficar bem?" cara, isso nunca passou na minha mente...

Curiosidade: Eu não encontrei o "mini-game de sexo", pela primeira vez em um jogo da franquia, poré, eu já estava meio ciente disso, pois, como expliquei acima, Kratos ainda está muito triste pela morte de sua família, e provavelmente, sem vontade nenhuma de uma rapidinha...rs

eu gostei do enredo, e após o final do game, você automaticamente vai ter vontade de jogar os demais jogos, principalmente pelo modo que tudo acontece, não vou dar spoiler, mas posso adiantar que as batalhas do game, principalmente contra os chefes, e cada uma das irmãs Fúrias, são como sempre épicas, de proporções colossais, e que todos os fãs tanto gostam.


Kratos partindo em encontro com um dos bichinhos do jogo.

Jogabilidade.

Temos dois "poréms" aqui, 1° A jogabilidade é basicamente a mesma de God of War 3, porém algumas nuances que tornam Ascension único, e vou citar logo mais, e 2° Kratos ainda não é tão poderoso como vimos nos outros games, pois, além de não ter entrado em conflito com nenhum Deus do Olimpo, ele também não está movido a fúria, e como todos sabem, a fúria muitas vezes faz você ultrapassar seus limites e alcançar poderes inimagináveis (ou vocês nãoo assistiram Cavaleiros dos Zodíaco e Dragon Ball Z? :D ), com isso, teremos algumas mudanças leves na jogabilidade em geral.

Pra começar, esqueça aquele monte de magias e armas que os outros jogos lhe oferecem, pois aqui Kratos tem 1 arma principal, e 1 magia... isso mesmo, nada de pegar uma magia em cada esquina, agora as batalhas estão um pouco mais táticas e exigem mais pericia e menos poderes.

Magia: É apenas uma, baseada em fogo, onde kratos enterra violentamente as chaos blades no chão, gerando uma explosão, que atira os inimigos para o alto e lhes atordoam, ótima para momentos de desespero em que você é cercado, como também para fazer táticas. Ela funciona em dois lances, onde após a primeira explosão, você deve apertar o botão que aparece na tela, para gerar uma segunda explosão poderosa.


Kratos no momento de poder, você verá essa cena muitas vezes na campanha.

Chaos Blades: Porém, para compensar, a arma principal de Kratos, que são as "Chaos blades" dadas por Ares, sofrem variações no jogo, e ao longo da campanha, você poderá energizá-las com 4 poderes: fogo de Ares, raio de Zeus, Gelo de Poseidon e por fim, almas de Hades. Essas modificações serão encontradas ao longo da campanha e podem receber upgrades, é bem bacana, pois, a cada nível aumentado, os poderes vão ficando superiores, e selecionando as laminas com raio, você pode espalhar choque por toda a tela, almas e braços de monstros com a de hades e por aí vai.

Armas secundárias: Agora Kratos pode pegar diversas armas secundárias ao longo da campanha, e elas são consumíveis. Vão desde lanças, espadas, maças e etc, e com elas, você pode fazer um ataque padrão, como melee, e um ataque mais forte, aonde ele arremessa as armas, tirando mais energia do inimigo, e descartando a mesma automaticamente. nada demais, mas da uma dinâmica diferente a que estamos habituados.


Armas secundárias que poderão ser recolhidas pelo cenário.

Puzzles: Como todos sabem , God of War, é baseado em duas coisas: batalhas e puzzles, e aqui não está diferente. Praticamente em cada área do jogo, temos um novo puzzle com o cenário para chegar na próxima, e como sempre, eles são extremamente bem feitos e inteligente. houve momentos em que fiquei até 10 minutos para resolver um puzzle, e isso, é sempre bem vindo em uma campanha, pois, além de diferenciar um pouco a jogabilidade e testar seu raciocínio, da uma durabilidade maior ao jogo, principalmente no primeiro gameplay. Sem dar spoiler, quero comentar de um item que você pegará mais ou menos na metade da campanha. Esse ítem que não vou dizer o nome, é capaz de reconstruir, ou destruir certas construções no cenário, e ele dará uma dinãmica muito interessante ao puzzles, além se ser sensacional, ver partes enormes (as vezes colossais) do cenário, se montando e desmontando na sua frente, aonde você escolhe se quer regenerar com o R1 ou deteriorar com o L1, e inclusive, voc~e poderá simplesmente "parar" a estrutura no meio do ar se montando, mas sem ir até o final, com tudo flutuando no ar. um efeito sensacional, que vale a pena ser mencionado.

"Miscelâneas":Além disso, existem algumas novas variações nas batalhas. Como disse, kratos é mais Humano, logo, uma simples medusa que destruímos aos montes nos outros jogos, pode lhe dar trabalho, como todos sabem, após golpear muito um inimigo, Kratos tem a opção de "finalizá-lo" como botão de agarrar, aonde geralmente entra um QTE, porém nesse jogo, o inimigo ganha uma "sobre vida" ao ser agarrado, e mesmo preso as suas correntes, ele tentará te atacar, nessa hora, começa um mini-game, aonde você o continua atacando, e tem que desviar dos seus golpes com o direcional, até que ele esteja morto, e Kratos finalmente o finalize. Muito bacana o visual desse momento, aonde você vê a cara de desespero dos monstros, tentando sua última saída.

Agora a chaos blade é impalável, e você pode mandá-la no peito do inimigo e mantê-lo preso a você, podendo assim atacar outros, enquanto o mantem sobre domínio, ou mesmo arremessá-lo.

Novos inimigos foram adicionados, mudnado um pouco a jogabilidade.

A câmera como sempre, dispensa comentários, é o que há de melhor em jogos do gênero, e dificilmente compromete sua jogabilidade.

Sem nenhuma arma secundária, kratos desfere golpes (pancadas mesmo), npos inimigos... tem até o chute famoso do Leônidas "This is Sparta"...rs


Alõ é da PETA? Tem um cara esfaqueando um elefante aqui.

Gráficos:

Quem está comprando um PS3 agora,provavelmente terá orgasmos nerds, pois, os gráficos são lindos, com detalhes incríveis de pele de inimigos com belas texturas, além de escaláveis, cenários gigantescos e estruturas colossais, porém, para quem jogou muito GOW 3, vai perceber apenas detalhes melhores acabados, inimigos mais bem feitos e cenários com maior cuidado. É tudo muito bonito, e em um conjunto geral de ambientes e inimigos, é o que de melhor tem na geração. Os efeitos de luz sim estão muito mais bonitos e críveis, e isso você percebe rapidamente jogando, mas não espere nada revolucionário. O que eu mais percebi, é que as câmeras tentam ao máximo mostrar o quão grandes são os cenários.

No mais, kratos continua se sujando todo de sangue nas batalhas, e os inimigos derramam suas entranhas nos golpes finais, como tripas, estômagos e agora até cérebros.


GOW sempre belo...

Som

Quem já jogou sabe, que a trilha sonora de GOW é totalmente original e orquestrada, e da melhor qualidade. Isso permanece no mais alto nível aqui, assim como as dublagens igualmente magestrais, com vozes carregadas como toda obra que trata de mitologia. Sem novidades, porém, como sempre, tudo muito bem trabalhado, talvez a melhor novidade para alguns, seja a dublagem em Pt-Br que está presente. Bem, não é o melhor trabalho que eu já vi, e ainda não sestá no nível de Halo. Como eu particularmente não gosto de nada dublado, joguei só para conferir, e não me irritou, as vozes foram bem escolhidas, mesmo em um jogo que traz uma dublagem mais carregada e específica, porém é melhor que os trabalhos feitos em killzone 3 e Uncharted 3.

Durabilidade:

Dentro dos padrões dos principais jogos da série, com 8 a 9 horas de campanha. No meu marcador final, eu fechei com pouco mais de 10 horas no hard, e sem pegar todos os coletáveis. A primeira vez, é sempre a mais longa, devido aos puzzles e inimigos desconhecidos. Para esse gênero, é uma ótima média, e tira aquele peso, de que o game seria mais curto por causa do multiplayer. Isso não acontece, e o game, ainda continua dando muito valor a campanha, apesar de a Santa Mônica dizer que também está se dedicando muito ao multiplayer.

Multiplayer:

Não joguei ainda, pois, só estará disponível após o dia 12, porém pelo beta, ele até que diverte. trata-se de uma arena com 4 a 8 gladiadores, aonde você escolhe o Deus que quer seguir, e recebe poderes de acordo com isso. É legal, e parece bem menos forçado do que o de jogos como Dead Space, Bioshock e do recente Tomb Raider... vale a pena dar uma conferida... jogarei mais quando for liberado.


This is Sparta.

Conclusão:

Apesar de algumas críticas claramente exageradas, que chegaram a dar até 7 para o jogo, não se engane. Esse é um legítimo jogo da série, que traz tudo o que sempre adoramos na mesma, e com algumas inovações superficiais, porém, nem vindas. Recomendo sim, fortemente a todos os fãs da série, que DEVEM jogar esse jogo, pois é o bom e velhor GOW de sempre, que você senta e se diverte e muito jogando. Se gosta de hack'n slash e nunca jogou GOW, fique a vontade para jogar esse, que não depende de jogo anterior nenhum, pois, é um prelúdio, que no máximo te fará comprar os outros... É isso aí... !thumbsup
 

Schwarzz

Viciado
12,907
11,009
Belo review.

Por melhor que seja o jogo vou deixar pra pegar ele mês que vem, a demo do Last of Us so sai em abril mesmo, esse mês ainda tem Bioshock e o TR que eu ainda não peguei.
 

caddelin

Viciado
1,729
709
Curitiba
Está na moda agora tentar dar um pouco de "humanidade" a personagens absolutamente sem graça. Já tentaram fazer isso com o Master Chief no ultimo Halo, e pelo visto estão tentando fazer o mesmo com Kratos, que sempre foi um personagem sem profundidade alguma.

Daqui ha pouco lançam as origens emocionais do Marcus Fenix também...

Não joguei esse ainda, mas eu acho que a jogabilidade de God of War está ficando cansada. É como os RPGs da Bioware. Os jogos são bons, mas a fórmula está ficando batida. E no caso de God of War ainda paga o preço pela quantidade de clones mal sucedidos que tentaram explorar a mesma fórmula.

Acredito que parte das más críticas que está recebendo (é o jogo "principal" da série com a crítica mais baixa da história) se deve ao fato de que esse título nesse formato não tem muito mais a dizer.

Eu falei em um dos podcasts que não deveria nem ssequer ser lançado um novo título da franquia nessa geração. Não tem mais nada a dizer.

Acho que é expor a franquia a um desgaste desnecessário.
 

Scarfella

Jogador
7,639
1,288
Concordo com seu ponto de vista caddelin, pois, de fato a fórmula é a mesma, e com todos as remasterizações HD mais os clones de GOW, que apenas tentam copiá-lo sem inovação ou personalidade nenhuma, a fórmula acabou cansando e as notas diminuindo... Eu como fã da série, não me aborreci com isso, mas concordo plenamente, que uma renovação (não um recomeço necessáriamente) da série ao estilo DmC, ou Tomb Raider, que melhoraram todas as velhas formulas, com uma roupagem totalmente nova, e diversas novas possibilidades, faria muito bem pra série... felizmente, GOW ainda é divertido e prazeroso, mas se lançarem mais um jogo sem alteração na base, a franquia entra em declínio de vez...

Minha esperança, fica para um possível GOW 4 no PS4, daqui uns bons anos, e com uma reformulação geral, mantendo a qualidade...

Quanto a humanização dos personagens, de fato tem sido uma constante, mas alguns casos se saíram muito bem... A Lara do novo TR e o Dante do novo DmC, foram ótimos trabalhos, de formas bem diferentes... Dante é bom, sarcástico e habilidoso, aonde no próprio jogo, ele tem uma evolução natural dos seus poderes, mas não é imortal e não fica atravessando espadas de inimigos com o peito, e a nova Lara sofre, e cresce durante o jogo, de uma forma muito bem feita...
 

dlm1982

Novato
Colaborador
6,135
1,574
[quote1362876595=caddelin]
Está na moda agora tentar dar um pouco de "humanidade" a personagens absolutamente sem graça. Já tentaram fazer isso com o Master Chief no ultimo Halo, e pelo visto estão tentando fazer o mesmo com Kratos, que sempre foi um personagem sem profundidade alguma.

Daqui ha pouco lançam as origens emocionais do Marcus Fenix também...

Não joguei esse ainda, mas eu acho que a jogabilidade de God of War está ficando cansada. É como os RPGs da Bioware. Os jogos são bons, mas a fórmula está ficando batida. E no caso de God of War ainda paga o preço pela quantidade de clones mal sucedidos que tentaram explorar a mesma fórmula.

Acredito que parte das más críticas que está recebendo (é o jogo "principal" da série com a crítica mais baixa da história) se deve ao fato de que esse título nesse formato não tem muito mais a dizer.

Eu falei em um dos podcasts que não deveria nem ssequer ser lançado um novo título da franquia nessa geração. Não tem mais nada a dizer.

Acho que é expor a franquia a um desgaste desnecessário.
[/quote1362876595]
Não vejo como um erro GoW: ascention ter sido lançado no PS3,afinal, dentro da geração é somente o segundo jogo da franquia. Se for comparado com outras franquias, até que 2 jogos são poucos. AC tem 5 jogos lançados com o sexto saindo esse ano, Gears vai para o quato jogo, Uncharted foram 3, Halo novos foram 4 e por ai vai.

Uma geração com pelo menos 7 anos (de ps3) ter 2 jogos da mesma franquai lançado é bem razoável. O foda é aguentar franquias anuais.

O grande problema ao meu ver é que relançaram todos os jogos da franquia em HD remasterizado, o que causou uma super-exposição desnecessária da série, o que com certeza, refletiu nas notas
 

Gaviões

Jogador
463
0
Parabens pela analise "apaixonada", Scar, conseguiu até ser um pouco técnico.

Bom, mas vamos lá.

Eu gostava muito do God of War no PS2. Nunca cheguei a terminar nenhum dos dois, nem jogava no mais dificil. Mas tinha simpatia. Entretanto meu interesse pelo gênero foi diminuindo com o passar dos anos. Provavelmente a culpa foi dos clones como "Dante's Inferno".

Joguei os demos de DMC e MGR, gostei mais do segundo, mas ainda acho que a evolução do estilo seria o caminho da série Batman Arkham. Acredito que ainda dá para evoluir muito e aplicar novos conceitos.

Quanto a polemica das notas, bom. Depois que você termina a universidade você começa a achar 7 uma nota excepcional. A rigidez das criticas nesse final de geração são completamente compreensíveis. Hoje em dia todo mundo já conhece os segredos das maquinas. Não tem mais onde tirar poder de processamento a ponto de impressionar do mesmo modo que Uncharted 2 impressionou.

Acho que qualquer jogador deveria ter o direito de se divertir com qualquer jogo do estilo que goste. Não se importando com notas, se X foi avaliado 0,1 a mais que Y, isso é pedantismo.
 

ElCidBr68

Jogador
1,638
20
[quote1362927107=Dornish]
Parabens pela analise "apaixonada", Scar, conseguiu até ser um pouco técnico.

Bom, mas vamos lá.

Eu gostava muito do God of War no PS2. Nunca cheguei a terminar nenhum dos dois, nem jogava no mais dificil. Mas tinha simpatia. Entretanto meu interesse pelo gênero foi diminuindo com o passar dos anos. Provavelmente a culpa foi dos clones como "Dante's Inferno".

Joguei os demos de DMC e MGR, gostei mais do segundo, mas ainda acho que a evolução do estilo seria o caminho da série Batman Arkham. Acredito que ainda dá para evoluir muito e aplicar novos conceitos.

Quanto a polemica das notas, bom. Depois que você termina a universidade você começa a achar 7 uma nota excepcional. A rigidez das criticas nesse final de geração são completamente compreensíveis. Hoje em dia todo mundo já conhece os segredos das maquinas. Não tem mais onde tirar poder de processamento a ponto de impressionar do mesmo modo que Uncharted 2 impressionou.

Acho que qualquer jogador deveria ter o direito de se divertir com qualquer jogo do estilo que goste. Não se importando com notas, se X foi avaliado 0,1 a mais que Y, isso é pedantismo.
[/quote1362927107]

Concordo com você Dornish, não deixa de ser pedante a mania de avaliar algo por parâmetros fixos, mas infelizmente é assim que o mundo gira. A própria EA usa o Metacritic para avaliar seus jogos, se isso é certo ou não já é outra historia. Mas que em um mercado com tantos jogos com valores altos seja necessário um meio de escolher onde por seu rico dinheirinho, isso é inegável.
 

Scarfella

Jogador
7,639
1,288
[quote1362933059=Dornish]
Parabens pela analise "apaixonada", Scar, conseguiu até ser um pouco técnico.

Bom, mas vamos lá.

Eu gostava muito do God of War no PS2. Nunca cheguei a terminar nenhum dos dois, nem jogava no mais dificil. Mas tinha simpatia. Entretanto meu interesse pelo gênero foi diminuindo com o passar dos anos. Provavelmente a culpa foi dos clones como "Dante's Inferno".

Joguei os demos de DMC e MGR, gostei mais do segundo, mas ainda acho que a evolução do estilo seria o caminho da série Batman Arkham. Acredito que ainda dá para evoluir muito e aplicar novos conceitos.

Quanto a polemica das notas, bom. Depois que você termina a universidade você começa a achar 7 uma nota excepcional. A rigidez das criticas nesse final de geração são completamente compreensíveis. Hoje em dia todo mundo já conhece os segredos das maquinas. Não tem mais onde tirar poder de processamento a ponto de impressionar do mesmo modo que Uncharted 2 impressionou.

Acho que qualquer jogador deveria ter o direito de se divertir com qualquer jogo do estilo que goste. Não se importando com notas, se X foi avaliado 0,1 a mais que Y, isso é pedantismo.
[/quote1362933059]

Realmente Dorish, minha análise foi feita pelos olhos de um fã da série, e de fato, com um ar de "paixão" sim, não nego...

Se eu não fosse fã da série, poderia ter colocado tudo com um tom mais negativo, porém, pra quem gosta do jogo, e perto do fenômeno que é GOW, e da qualidade comprovada que o mesmo apresenta, eu não tenho problemas em divulgá-lo como uma coisa boa, ou mesmo recomendá-lo... O jogo é de fato ótimo, com tudo que a série sempre trouxe de bom, e quem jogá-lo, de fato vai se divertir do inicio ao fim, portanto, dificilmente alguém vai se arrepender, ou dizer que eu elogiei, ou recomendei um jogo ruim... Eu não apenas disse que o jogo é bom, como justifiquei meu ponto de vista, e acho isso válido...

Isso acontece até com grandes revistas de review, ou você não leu a análise de Halo 4 da IGN? Eu como fã de Halo até fiquei com vontade de jogá-lo, pois, eu sei que o que foi dito ali, é real, e muito válido para os fãs...Como fã, você seguiria a análise da IGN que deu um glorioso 98 para Halo 4, ou um 20 da Quarter of Tree, que consta no metacitics? É obvio que do ponto de vista de quem quer prejudicar, qualquer coisa é argumento, mas tenho certeza que Halo 4 é o que tem de melhor no gênero, assim como GOW Ascension...

Agora se eu tivesse vangloriando um jogo ruim, ai sim, seria outra história... !thumbsup
 

Schwarzz

Viciado
12,907
11,009
Nessas das notas eu concordo como Thadeu, nota 7 é uma nota muito boa, é acima da media, passou direto, não ficou de AF.

Nossa comunidade ( digo comunidade gamer) é uma bosta nessa questão de avaliação, ou o jogo é 9,5-10 ou é uma porcaria. Comparar por exemplo metacritic de filmes com o de games, dificilmente um filme fica com nota acima de 80.

Nota 7 não é ruim, é uma boa nota, um 5 na minha opinião quer dizer que o jogo é mediano, abaixo disso reside as porcarias.

Como já falaram, as notas mais baixas desse jogo se justificam pq a franquia foi exposta demais, eu tenho 5 platinas do God of War. Já que a Santa Mônica quer insistir na formula, eu adoro ela deixo isso bem claro, eu queria que ela deixasse o Kratos de lado, partisse para outro personagem, outro setup, mantém o esqueleto do jogo, câmera fixa, escala, jogabilidade, mas com outra roupagem. Kratos como personagem não tem mais o que contar desde o final do primeiro jogo.
 

dlm1982

Novato
Colaborador
6,135
1,574
Joguei hoje por por cerca de 1 hora (ou menos) e gostei bastante do jogo. Mas acho que há um exagro nos inimigos gigantescos que ele enfrente. Nem como Deus da Guerra ela dava ess quantidade de cacete em bichos gigantestos...hehehe

Mas joguei somente o prólogo do jogo e tecnicamente o jogo está muito bonito. A jogabilidade fluída como sempre.

Jogão. Março está sendo um grande mês para os gamers
 

GoodOfMetal

Jogador
1,819
42
Boa analise pra um sonysta Scar hahaha, joguei só a demo e gostei muito do vi, pois é diferente da demo que joguei na BGS, menos a dublagem acho que já to acostumados demais com o jogo em inglês pra encarar um dublado, mais vou tentar jogar a demo dublada pra ver como ficou.

Não vejo nada demais em mostrar o senhor sangue no zóio, em inicio de carreira mais bonzinho, afinal o Issac só aprendeu a falar no DS2, assim como a dona Samus que demorou anos pra quebrar o voto de silêncio e ninguém reclamou.

Se análise puxa saco do Scar estiver correta, acho que só devo pegar esse novo jogo do bom da guerra junto com o Origins pra jogar a saga toda numa porrada só e de quebra fazer umas platinas.

Quanto a nota é uma coisa que não ligo muito até 5 ou 6 ta na média, mais é um jogo pra se pegar mais barato ou emprestado, acima disso o jogo vale o investimento até no lançamento se o hype for muito alto e tiver grana sobrando, agora a baixo de 5 vai de cada um pegar ou não, eu mesmo acho que tenho jogo com nota baixa que divertiu tanto ou até mais que muito jogo com grandes notas por ai, mais só peguei por curiosidade e porque tava muito barato.
 

Scarfella

Jogador
7,639
1,288
[quote1363098418=leoharth]
Eu joguei ontem e avancei um pouco. Fiquei um pouco decepcionado que consegui rápido 3 variantes de mágica das blades of chaos, mas nenhum item. Tenho a impressão que a progressão de poderes e itens em outros jogos da série era melhor balanceada.

Ainda não encontrei um puzzle bem característico mesmo da série. O meu GoW favorito é o 2, que pra mim teve os melhores puzzles.

Mas só nos cenários épicos, esse já está se revelando um puro sangue. Mal posso esperar o dia passar pra eu dar mais uma jogadinha a noite :)
[/quote1363098418]

Eu senti um pouco disso tb Leo, mas a verdade, é que devido as limitações do Kratos mais "humano", o jogo oferece poucos poderes e variações... Como eu disse, é tudo mais voltado para a força física e a Chaos Blade + armas descartáveis... As variações da Chaos Blade, alteram a jogabilidade, mas muito pouco... Umas são mais efetivas de perto, e outras de longe, além de algumas pegarem mais inimigos de longe e outras pegarem melhor um único inimigo de perto, porém, eu senti, que é possível ignorar tudo, e usar apenas a Chaos Blade padrão (fogo), que evoluída no máximo, e com a barra de rage, da melhores resultados no geral... O jogo não é muito profundo nesse quesito...

Os itens são mais envolvidos com o enredo, e após pegar pelo menos o primeiro deles, é que realmente começam os Puzzles...

E eu não fui pucha-saco assim não Good, como eu disse, o jogo não é o melhor da série, e nem traz grandes inovações... Ele traz sim praticamente tudo o que a série traz de bom, e com as mesmas qualidades, e com certeza, vale a pena conferir... Abs
 

dlm1982

Novato
Colaborador
6,135
1,574
[quote1363099802=Scarfella]
[quote1363098418=leoharth]
Eu joguei ontem e avancei um pouco. Fiquei um pouco decepcionado que consegui rápido 3 variantes de mágica das blades of chaos, mas nenhum item. Tenho a impressão que a progressão de poderes e itens em outros jogos da série era melhor balanceada.

Ainda não encontrei um puzzle bem característico mesmo da série. O meu GoW favorito é o 2, que pra mim teve os melhores puzzles.

Mas só nos cenários épicos, esse já está se revelando um puro sangue. Mal posso esperar o dia passar pra eu dar mais uma jogadinha a noite :)
[/quote1363098418]

Eu senti um pouco disso tb Leo, mas a verdade, é que devido as limitações do Kratos mais "humano", o jogo oferece poucos poderes e variações... Como eu disse, é tudo mais voltado para a força física e a Chaos Blade + armas descartáveis... As variações da Chaos Blade, alteram a jogabilidade, mas muito pouco... Umas são mais efetivas de perto, e outras de longe, além de algumas pegarem mais inimigos de longe e outras pegarem melhor um único inimigo de perto, porém, eu senti, que é possível ignorar tudo, e usar apenas a Chaos Blade padrão (fogo), que evoluída no máximo, e com a barra de rage, da melhores resultados no geral... O jogo não é muito profundo nesse quesito...

Os itens são mais envolvidos com o enredo, e após pegar pelo menos o primeiro deles, é que realmente começam os Puzzles...

E eu não fui pucha-saco assim não Good, como eu disse, o jogo não é o melhor da série, e nem traz grandes inovações... Ele traz sim praticamente tudo o que a série traz de bom, e com as mesmas qualidades, e com certeza, vale a pena conferir... Abs

[/quote1363099802]
Eu até que gostei do fato de ele utilizar basicamente o Chaos Blade. Nos outros jogos eu usava ela 80% do jogo e só mudava de arma quando determinado inimigo pedia isso ou o puzzle. Invariavelmente sempre achei que era a melhor arma do jogo.

A barra de furia se utilizada automaticamente para fazer novos golpes eu não gostei, preferia que ela fosse acionada no momento oportuno pelo jogador.

achei estranho o fato de ele não estar no auge do poder enfrentar os maiores inimigos da séria até então. Isso destoa um pouco. Gostei muito dos golpes de mãos vazias, no estilo do chute do Leonidas em 300 e dos diretões com a mão.

Achei que, como segundo jogo da franquia na geração ele realmente é um ótimo jogo...prejudicado somente pelo excesso de títulos lançados, pq tiveram que inventar o samba do crioulo doido para fazer um enredo minimamente coerente e com inimigos (que não podem ser os deuses) poderosos e coerentes.
 

Arthur ExNxK

Jogador
1,447
282
é o seguinte :D joguei demais essa bagaça no PS2, gostei pacas. Comprei o GOW saga, que ainda nem encostei..e acabei de comprar o ascencion edição limitada... depois que finalizar a trilogia do Uncharted (já que são só três jogos) vou me envolver no God of War. E concordo com o Leo, o 2 tem puzzles mto legais. Vamo que vamo que to com o PS3 de novo :D.
 

GoodOfMetal

Jogador
1,819
42
[quote1363107877=Scarfella]
[quote1363098418=leoharth]
Eu joguei ontem e avancei um pouco. Fiquei um pouco decepcionado que consegui rápido 3 variantes de mágica das blades of chaos, mas nenhum item. Tenho a impressão que a progressão de poderes e itens em outros jogos da série era melhor balanceada.

Ainda não encontrei um puzzle bem característico mesmo da série. O meu GoW favorito é o 2, que pra mim teve os melhores puzzles.

Mas só nos cenários épicos, esse já está se revelando um puro sangue. Mal posso esperar o dia passar pra eu dar mais uma jogadinha a noite :)
[/quote1363098418]

Eu senti um pouco disso tb Leo, mas a verdade, é que devido as limitações do Kratos mais "humano", o jogo oferece poucos poderes e variações... Como eu disse, é tudo mais voltado para a força física e a Chaos Blade + armas descartáveis... As variações da Chaos Blade, alteram a jogabilidade, mas muito pouco... Umas são mais efetivas de perto, e outras de longe, além de algumas pegarem mais inimigos de longe e outras pegarem melhor um único inimigo de perto, porém, eu senti, que é possível ignorar tudo, e usar apenas a Chaos Blade padrão (fogo), que evoluída no máximo, e com a barra de rage, da melhores resultados no geral... O jogo não é muito profundo nesse quesito...

Os itens são mais envolvidos com o enredo, e após pegar pelo menos o primeiro deles, é que realmente começam os Puzzles...

E eu não fui pucha-saco assim não Good, como eu disse, o jogo não é o melhor da série, e nem traz grandes inovações... Ele traz sim praticamente tudo o que a série traz de bom, e com as mesmas qualidades, e com certeza, vale a pena conferir... Abs

[/quote1363107877]

O puxa-saco foi brincadeira por vocêr admitir no incio do review que é fã de carteirinha da saga do bom da guerra, relaxa e joga !thumbsup

Ainda bem que não trouxe grandes inovações senão podia virar mais um shooter com um coop caindo de paraquedas e com micro-transções como aconteceu com DS3 ou ter que jogar conectado a um servidor porco e rezar pra funcionar como o SimCity. hehehe

Realmente pela demo mesmo já se nota que o cara ta meio fraco e no inicio de carreira, pegar um caminhão de armas mágicas e mágias seria meio estranho na minha opinião, o bom que isso aumenta o desafio e talvez o tempo pra terminar do jogo.
 

Rushioudi

Jogador
780
169
O meu jogo chegou ontem, não fechei ainda mas joguei umas 4 horas. No quesito gráficos e entretenimento, digamos assim, continua belíssimo em todos os aspectos. A cada QTE contra algum chefe ou inimigo maior é uma emoção diferente.

Mas não curti a jogabilidade não, esse negócio de ter que encher a barra pra realizar o combo tradicional dele não vingou, inimigos com auto-guard, as armas descartáveis não são lá muito necessárias. Prefiro e muito o sistema antigo, mas nao é isso que vai fazer o jogo ficar ruim não, mas ta me incomodando muito.
 

Scarfella

Jogador
7,639
1,288
[quote1363268924=Rushioudi]
O meu jogo chegou ontem, não fechei ainda mas joguei umas 4 horas. No quesito gráficos e entretenimento, digamos assim, continua belíssimo em todos os aspectos. A cada QTE contra algum chefe ou inimigo maior é uma emoção diferente.

Mas não curti a jogabilidade não, esse negócio de ter que encher a barra pra realizar o combo tradicional dele não vingou, inimigos com auto-guard, as armas descartáveis não são lá muito necessárias. Prefiro e muito o sistema antigo, mas nao é isso que vai fazer o jogo ficar ruim não, mas ta me incomodando muito.
[/quote1363268924]

Realmente, e eu até já mencionei isso aqui, a jogabilidade em si, mantem a qualidade, mas os poderes de Kratos são muito fracos, perto do arsenal de trilogia original, mas esse negócio de ficar voltando no tempo, ainda mais, quando o personagem fica mais poderoso a cada jogo, é bem complicado... Imagina um Kratos mais poderoso e cheio de possibilidades em Ascension do que em GOW 3?

Por isso que as franquias tem que seguir pra frente... É difícil aplicar um downgrade convincente e satisfatório, em um personagem como Kratos...
 

dlm1982

Novato
Colaborador
6,135
1,574
[quote1363269822=Scarfella]
[quote1363268924=Rushioudi]
O meu jogo chegou ontem, não fechei ainda mas joguei umas 4 horas. No quesito gráficos e entretenimento, digamos assim, continua belíssimo em todos os aspectos. A cada QTE contra algum chefe ou inimigo maior é uma emoção diferente.

Mas não curti a jogabilidade não, esse negócio de ter que encher a barra pra realizar o combo tradicional dele não vingou, inimigos com auto-guard, as armas descartáveis não são lá muito necessárias. Prefiro e muito o sistema antigo, mas nao é isso que vai fazer o jogo ficar ruim não, mas ta me incomodando muito.
[/quote1363268924]

Realmente, e eu até já mencionei isso aqui, a jogabilidade em si, mantem a qualidade, mas os poderes de Kratos são muito fracos, perto do arsenal de trilogia original, mas esse negócio de ficar voltando no tempo, ainda mais, quando o personagem fica mais poderoso a cada jogo, é bem complicado... Imagina um Kratos mais poderoso e cheio de possibilidades em Ascension do que em GOW 3?

Por isso que as franquias tem que seguir pra frente... É difícil aplicar um downgrade convincente e satisfatório, em um personagem como Kratos...
[/quote1363269822]
Mas até que achei que justificaram bem os poderes, que estão variados, mesmo usando uma única arma.

Mas notei, agora que avancei um pouco mais, uns temas egípcios no jogo, inimigos, referencias e etc. Estariam os produtores já criando uma justificativa para os novos jogos?