[GOOD NEWS EVERYONE] Imposto sobre VideoGames foi reduzido.

Saci

Heimdall dos Pampas
Moderador
9,983
12,794
O decreto e so um teste gente para avaliação do mercado, ainda está em tramitação a pec 51/2017 Que reduz ainda mais a tributação.

Devem estar querendo pegar dados de consumo para verificar se compensa a queda da arrecadação.
Tem um problema no momento (um momento que dura tantos anos e parece que não acaba nunca) que é o fato de existir uma receita reduzida em relação aos gastos obrigatórios do governo. Obviamente tenho interesse em comprar um console mais barato, mas as coisas não são tão simples assim (ah, reduz o preço que o consumo vai aumentar e no final aumenta a arrecadação). Queria que fosse simples assim, mas a realidade é mais dura.
Edit que não deu pra terminar antes:
Baixar de 50% para 40%, provavelmente não vai mudar muito o volume de vendas. E, se a ordem de grandeza das vendas permanece a mesma, a única coisa que ocorre é a diminuição da arrecadação. Então, fica fácil alguém concluir ali na frente que reduzir os impostos nos games não foi bom para o Brasil, pois falta dinheiro para setores básicos, como educação, e não houve nenhuma mudança significativa no mercado.
Não se trata de eu achar ruim que baixou imposto; mas, da forma que aconteceu, tenho sérias dúvidas que a situação não seja revertida ali na frente, ao invés de melhorar progressivamente. Talvez outras mudanças relacionadas a importação dos componentes, SOMADAS a essa redução de alíquota, possam dar um resultado mais perceptível para nós consumidores. Tomara que ocorra isso.
 
Última edição:

The Herdy

Viciado é pouco
PXB Gold
4,039
1,312
Acredito em um impacto imediato muito pequeno, se não nulo, no consumidor, os revendedores já absorvem boa parte desses impostos pra não deixar mercadoria encalhada
Quem sabe para o Natal, a gente encontra os consoles nessa faixa de preços:
  • XBOX ONE X: entre R$1.900 - R$2.100;
  • XBOX ONE S: entre R$900 a R$ 1.100,00.
O que vcs acham ?
o all digital do S talvez, ele já é vendido por 1200 pra chegar em 1100 ´é mole. O mercado do X eu não sei muito bem como está.
 

Maicrosofiti BR

Jogador
750
239
Esperava uma redução maior. Mas mesmo assim é uma ótima medida. Acredito que até o gov irá arrecadar mais com um maior volume e diminuição do mercado cinza.
Da parte dos fabricantes, espero que essa redução viabilize o negócio. Não podemos esquecer que nem a Nintendo aguentou.... Só de termos boa representação no país, acessórios disponíveis para compra e fazer parte dos lançamentos globais, já vale muito a pena.
 

bereljs

Viciado
163
109
Brasil
Faltou diálogo do governo com as grandes empresas do ramo, se houvesse essa conversa talvez a segurança do consumidor em receber essa diferença seria maior.
 

Maxximu

Casual
3,297
2,418
Esperava uma redução maior. Mas mesmo assim é uma ótima medida. Acredito que até o gov irá arrecadar mais com um maior volume e diminuição do mercado cinza.
Da parte dos fabricantes, espero que essa redução viabilize o negócio. Não podemos esquecer que nem a Nintendo aguentou.... Só de termos boa representação no país, acessórios disponíveis para compra e fazer parte dos lançamentos globais, já vale muito a pena.
Esse é um dos problemas do Brasil.
Vivemos em um país dividido. Onde hoje o governo atual defende a política externa, e o partido contrário não.
Então a empresa extrangeira quer vir ao Brasil ai vai pensar "Vou montar uma fábrica no Brasil... mas daqui a 3 anos vai ter eleição e o governo atual pode perder... é, deixa pra lá"

:/
 

JrMaier

Jogador
Eu não to tão por dentro do assunto, mas essa redução não é só para produtos fabricados aqui ou engloba tudo? Se baixar só impostos de produtos fabricados aqui pode ser uma boa, as empresas podem investir mais na produção local de consoles e mídia física de games.

Na minha visão menos imposto é sempre melhor. E a pessoa sendo de direita ou esquerda tem que concordar que cobrar 50% de IPI é um absurdo.
 
  • Curtir
Reações: xJohnKennedy

Saci

Heimdall dos Pampas
Moderador
9,983
12,794
Eu não to tão por dentro do assunto, mas essa redução não é só para produtos fabricados aqui ou engloba tudo? Se baixar só impostos de produtos fabricados aqui pode ser uma boa, as empresas podem investir mais na produção local de consoles e mídia física de games.

Na minha visão menos imposto é sempre melhor. E a pessoa sendo de direita ou esquerda tem que concordar que cobrar 50% de IPI é um absurdo.
Quando eles montam as peças aqui, o videogame fica "nacionalizado". Vem o cabinho de força adequado, tem registro da Anatel, essas coisas. Mas é apenas uma montagem, eles precisam importar praticamente tudo. Não sei se tem alguma coisa feita aqui de fato (hoje em dia). Mas isso já basta pra se enquadrar nos "produtos feitos aqui" em termos de imposto.
E sim, 50% é absolutamente ridículo. Mas 40% ainda ficou bem longe de razoável, não? Imaginava que tentariam pelo menos 30%.
"Ah, mas é melhor que nada". Depende. Se for um processo gradual, uma proposta de redução que não vai baixar de uma vez pra diluir o impacto na arrecadação, por exemplo, daí eu acho muito válido e compreendo perfeitamente. Mas se for um "vamos fazer isso pra testar o que dá", daí me preocupa que o tiro saia pela culatra e quando a medida estiver vencendo ninguém vai se mexer pra validar.
 
  • Curtir
Reações: JrMaier

Saci

Heimdall dos Pampas
Moderador
9,983
12,794
Vamos ver se isso aqui vai até o final também, notícia de 7 de agosto:

Consoles e jogos para videogames produzidos no Brasil poderão conquistar imunidade tributária, a exemplo da concedida em 2013, a fonogramas e videofonogramas musicais (CDs e DVDs) de origem nacional, reunindo obras musicais ou literomusicais de artistas brasileiros. O benefício fiscal é previsto na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 51/2017, aprovada na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) nesta terça-feira (6). O texto seguiu para votação em Plenário.
A PEC recebeu voto favorável do relator, senador Telmário Mota (Pros-RR). Se for promulgada pelo Congresso Nacional, estados e municípios ficarão proibidos de impor taxação a esses produtos. A iniciativa partiu de sugestão legislativa, de iniciativa popular, acatada pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). Para Telmário, a proposta não evidencia privilégio para um setor econômico, “mas sim o aproveitamento de oportunidade real para o desenvolvimento dos jogos eletrônicos, com o incremento do emprego, dos lucros e também da arrecadação”.
“Estamos seguros de que a imunidade, embora tenha impacto sobre a arrecadação específica dos impostos dispensados, no contexto geral, vai promover um incremento de arrecadação de tal monta que o saldo será positivo para os entes federativos”, acrescentou o relator , exaltando, ainda, seu mérito em lançar um “golpe fatal” sobre a pirataria desses produtos.
 
  • Curtir
Reações: Senta a pua

Saci

Heimdall dos Pampas
Moderador
9,983
12,794
Eu vou postar aqui um e-mail que mandei em 2017 para o senador relator dessa proposta de lei acima, de isenção tributária.

"
Excelentíssimo Senador Telmario Mota,

Soube que Vossa Excelência é relator do projeto de redução de impostos em jogos eletrônicos.

Venho trazer minha visão sobre a questão, no intuito de acrescentar pontos de vista à avaliação dos senhores.

Existe um movimento mundial de educação digital para crianças. Ele consiste em desenvolver, desde cedo, o conhecimento de programação básica para crianças a partir de 7, 8 anos de idade. É perceptível que a geração atual de crianças se relaciona com a tecnologia de uma forma que a minha geração não pensava ser possível. O movimento citado busca trazer essa facilidade das crianças em lidar com a tecnologia para que foquem seu interesse em conhecimentos gerais como matemática, lógica, desenvolvimento de projetos, e até empreendedorismo. Nossos jovens estão se preparando para um mundo em que uma pessoa terá tanta facilidade para escrever um programa para celular quanto hoje temos facilidade para escrever um texto ou uma planilha em qualquer computador.

Mesmo antes desse cenário se solidificar, jogos eletrônicos ultrapassaram a barreira de mero entretenimento juvenil e atingiram o patamar de ferramenta de distribuição cultural, empregando pessoas das mais variadas expertises, desde programadores, até artistas, administradores, marketing... Muito semelhante ao que já acontece na indústria do cinema e televisão.

Porém, nossos melhores profissionais buscam empregos em empresas do exterior. Dada a alta carga tributária, é muito difícil para o brasileiro consumir os produtos eletrônicos, onde quer que tenham sido gerados. Isso dificulta enormemente que se produza conteúdo de interesse apenas local, já que nossa política é hostil com esse tipo de produto, inviabilizando as vendas em massa.

Temos um potencial criativo gigantesco, existem movimentos de profissionalização que começam a dar resultados, mas precisamos criar um cenário onde essas iniciativas possam se desenvolver. O acesso aos jogos eletrônicos pode simplesmente alterar dramaticamente a perspectiva de empregabilidade de milhares de jovens, e trazer benefícios previdenciários de curto a longo prazo que o país tanto necessita, sem falar nas demais benesses da redução de desemprego.

Assim, clamo pela sensibilidade de nossos congressistas para que permitam que o Brasil se integre na corrente de evolução que se percebe na juventude mundial e não deixem, mais uma vez, nosso país se colocar à margem das inovações.

Atenciosamente,

Nome e CPF do Saci"
 

HenriquePerche

Viciado
6,358
6,439
Ribeirão Preto
"Assinei Decreto 9.971 que reduz os impostos sobre jogos eletrônicos.
O IPI, que antes variava de 20% a 50%, passa a valer entre 16% e 40%.
Sei que é pouco, mas temos que seguir critérios. Acredito que o volume arrecadado não deva se alterar, tendo em vista o aumento da demanda."

Palavras do Biroliro.
 
  • Curtir
Reações: Victal

xJohnKennedy

Viciado
1,403
1,479
Goiás
Eu vou postar aqui um e-mail que mandei em 2017 para o senador relator dessa proposta de lei acima, de isenção tributária.

"
Excelentíssimo Senador Telmario Mota,

Soube que Vossa Excelência é relator do projeto de redução de impostos em jogos eletrônicos.

Venho trazer minha visão sobre a questão, no intuito de acrescentar pontos de vista à avaliação dos senhores.

Existe um movimento mundial de educação digital para crianças. Ele consiste em desenvolver, desde cedo, o conhecimento de programação básica para crianças a partir de 7, 8 anos de idade. É perceptível que a geração atual de crianças se relaciona com a tecnologia de uma forma que a minha geração não pensava ser possível. O movimento citado busca trazer essa facilidade das crianças em lidar com a tecnologia para que foquem seu interesse em conhecimentos gerais como matemática, lógica, desenvolvimento de projetos, e até empreendedorismo. Nossos jovens estão se preparando para um mundo em que uma pessoa terá tanta facilidade para escrever um programa para celular quanto hoje temos facilidade para escrever um texto ou uma planilha em qualquer computador.

Mesmo antes desse cenário se solidificar, jogos eletrônicos ultrapassaram a barreira de mero entretenimento juvenil e atingiram o patamar de ferramenta de distribuição cultural, empregando pessoas das mais variadas expertises, desde programadores, até artistas, administradores, marketing... Muito semelhante ao que já acontece na indústria do cinema e televisão.

Porém, nossos melhores profissionais buscam empregos em empresas do exterior. Dada a alta carga tributária, é muito difícil para o brasileiro consumir os produtos eletrônicos, onde quer que tenham sido gerados. Isso dificulta enormemente que se produza conteúdo de interesse apenas local, já que nossa política é hostil com esse tipo de produto, inviabilizando as vendas em massa.

Temos um potencial criativo gigantesco, existem movimentos de profissionalização que começam a dar resultados, mas precisamos criar um cenário onde essas iniciativas possam se desenvolver. O acesso aos jogos eletrônicos pode simplesmente alterar dramaticamente a perspectiva de empregabilidade de milhares de jovens, e trazer benefícios previdenciários de curto a longo prazo que o país tanto necessita, sem falar nas demais benesses da redução de desemprego.

Assim, clamo pela sensibilidade de nossos congressistas para que permitam que o Brasil se integre na corrente de evolução que se percebe na juventude mundial e não deixem, mais uma vez, nosso país se colocar à margem das inovações.

Atenciosamente,

Nome e CPF do Saci"
Meus parabéns. somente com esse email fez mais que eu e a galera toda aí de cima.
 
Não sei se é verdade, mais lê no site Theenemy que os atuais consoles (ps4, xbox one), não se enquadram nessa redução, pois não são fabricados no brasil, pois na realidade eles são somente montados na zona franca, as peças são importadas. Alguem poderia me confirmar se isso é verdade?
 

ronabs

Opa
Moderador
11,868
22,744
Porto Alegre
Não sei se é verdade, mais lê no site Theenemy que os atuais consoles (ps4, xbox one), não se enquadram nessa redução, pois não são fabricados no brasil, pois na realidade eles são somente montados na zona franca, as peças são importadas. Alguem poderia me confirmar se isso é verdade?
A medida reduziu o IPI.

Consoles fabricados/montados na Zona Franca de Manaus (como PS4/Xbox One) já são isentos de IPI.

Consoles importados, como Switch, PS4 Pro e Xbox One X, podem ver alguma melhora.

Lembrando que esse é um dos vários impostos que incidem sobre o valor final de venda aqui.

Já jogos não entram nesse cálculo.

Exemplos:
  • Switch com bundle de SSMU é R$ 2.899, R$ 1.932 sem o IPI. Com a diminuição, o IPI dele deixaria de ser R$ 966 e passaria a ser R$ 772,8, chegando ao preço final da coisa em R$ 2.704,80 - diminuição de 7%;
  • Controle de PS4 (acessório) tem preço médio de R$ 299 - R$ 213 sem o IPI. Com a medida, o IPI deixa de ser R$ 85,20 e passa a ser R$ 68,16, totalizando um preço final de R$ 281,16 - diminuição de 6%;
  • Portátil, New 3DS XL, preço médio de R$ 1.199, sem o IPI fica por R$ 999, deixa de pagar R$ 199,8 de IPI e passa a pagar R$ 159,80, finalizando na casa dos R$ 1.158,80 - diminuição de 4%.

Peguei as contas daqui, excelente artigo, por sinal, do Canal Tech.

O decreto não incide sobre jogos?
Nope.
 
Última edição:
  • Curtir
Reações: Saci e MASSALLER-MG

HenriquePerche

Viciado
6,358
6,439
Ribeirão Preto
O one S é mais ou menos nessa faixa, não?
Sim.
Ele tá sempre por 1100, procurando bem e esperando os cupons certos você acha pega por uns 1050.
Pra isso legal refletir na gente, tinha que ser One S pelo menos por R$950 fácil de achar e uns R$850 com promoção.

E curiosamente eu acho que o único console que pode ter preço reduzido com essa medida é o Xbox mesmo.

PS4 tá tão caro e aumentando cada dia mais que mesmo que derem desconto vai continuar caro.
Switch é mercado cinza, logo não passa pelas regras de impostos e quem coloca o preço é quem vende, então...
 

SOL INVICTUS

Casual
PXB Gold
627
464
São paulo
O one S é mais ou menos nessa faixa, não?
preço cheio, tabelado é de R$1.499,00.

peguei um print das Americanas
oneS.jpg

Mas usando um cupom aqui, desconto ali, conseguimos chegar a R$1.100.

Espero que com a medida do governo, o preço cheio fique mais baixo, podendo como o Henrique escreveu, chegar a R$850,00 em promoção.